Mayra Pinheiro (Capitã Cloroquina), secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde do Governo Bolsonaro
Sistema Judicial

Ministro do STF Ricardo Lewandowski reconhece direito de Mayra Pinheiro ao silêncio parcial na CPI da Pandemia do Senado Federal; Denominada de ‘Capitã Cloroquina’, servidora do Governo Bolsonaro teme autoincriminação

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski reconheceu nesta sexta-feira (21/05/2021) o direito da secretária de Gestão do Trabalho e da Educação em Saúde, Mayra Pinheiro, de permanecer em silêncio diante de algumas

Mayra Pinheiro (Capitã Cloroquina), secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde do Governo Bolsonaro.
Sistema Judicial

Ministro do STF Ricardo Lewandowski nega habeas corpus à Mayra Ribeiro; Secretária do Ministério da Saúde terá que responder as perguntas e dizer a verdade durante depoimento à CPI da Pandemia no Senado

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski negou habeas corpus preventivo protocolado pela secretária de Gestão do Trabalho e da Educação em Saúde, Mayra Ribeiro, para depor na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI)

General Eduardo Pazuello esteve durante 10 meses à frente da pasta do Ministério da Saúde, durante o Governo Bolsonaro. Ex-ministro da Saúde será obrigado a comparecer ao depoimento, mas não precisará responder perguntas que possam incriminá-lo. No entanto, será obrigado a falar a verdade em fatos e questões relacionados a terceiros.
Sistema Judicial

Ministro do STF Ricardo Lewandowski permite que general Eduardo Pazuello fique em silêncio na CPI da Pandemia no Senado Federal; Ele adverte que, se resolver responder às perguntas, terá que dizer a verdade

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski concedeu nesta sexta-feira (14/05/2021) parcialmente habeas corpus para que o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello possa ficar em silêncio durante depoimento na CPI da Pandemia. De

No mundo, 62 países aprovaram o uso da vacina russa Sputnik V. Mas o necropoder exercido pelo extremista Jair Bolsonaro impede uso por brasileiros.
Manchete

Necropoder: Governo Bolsonaro usa Anvisa para rejeitar importação e uso da Sputnik V; Compra da vacina contra Covid-19 foi solicitada por estados e municípios; 62 países aprovaram uso do imunizante

Atendendo os interesses do necropoder [1] exercido pelo extremista Jair Bolsonaro, os cinco diretores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) rejeitaram, por unanimidade, a importação e o uso da vacina russa Sputnik V pelo

Em tese, senador Renan Calheiros (MDB-AL) é vítima dos membros da ‘Aliança do Crime’.
Caso Lava Jato

Ministro do STF Ricardo Lewandowski libera acesso do senador Renan Calheiros a mensagens da Operação Spoofing; Investigação apura invasão de celulares de autoridades da República e revelou, em tese, ‘Aliança do Crime’

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou nesta sexta-feira (23/04/2021) o senador Renan Calheiros (MDB-AL) a ter acesso mensagens colhidas na Operação Spoofing, que apura a invasão de celulares de diversas autoridades

Revista Veja antecipou posição do desqualifica ministro do STF Kassio Nunes Marques como “100%” alinhado com os interesses do extremista Jair Bolsonaro.
Manchete

Ministro do STF Nunes Marques paga cargo concedido por Jair Bolsonaro com voto contra suspeição de Sérgio Moro em processos do ex-presidente Lula; Ex-ministro foi condenado como juiz parcial que promoveu atos persecutórios

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Kássio Nunes Marques votou neta terça-feira (23/03/2021) contra a tese da suspeição do, à época, juiz Sergio Moro nos processos contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Ministro do STF Gilmar Mendes, ao analisar HC do ex-presidente Lula, identificou, nas mensagens da Operação Spoofing, conluio entre o então juiz Sérgio Moro e os membros da força-tarefa do Caso Lava Jato, fato que remete ao conceito de operação de um ‘Sindicato do Crime’.
Caso Lava Jato

Recurso da PGR sobre ex-presidente Lula só será analisado após julgamento de suspeição de Sérgio Moro na 2ª Turma do STF; Evidências de formação do ‘Sindicato do Crime’ foram apresentadas pelo ministro Gilmar Mendes

O recurso da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra a decisão do ministro Edson Fachin, relator do processos do Caso Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), de anular as condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula

Ministro do STF Ricardo Lewandowski observou — sobre indícios que revelam possível atividade criminosa entre o então juiz Sérgio Moro, procurador da República Deltan Dallagnon, à época, chefe da força-tarefa do Caso Lava Jato e outros membros do MPF — que o conteúdo que veio à tona, até o momento, é extremamente grave e impactante e que deve causar perplexidade em quem tem o mínimo de conhecimento acerca do Devido Processo Legal.
Caso Lava Jato

2ª Turma do STF garante ao ex-presidente Lula acesso a arquivos da Operação Spoofing; Mensagens revelam indícios de conluio e atividade criminosa entre juiz e procuradores da República

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), por maioria de votos, não admitiu nesta terça-feira (09/02/2021) o recurso interposto por procuradores integrantes da força-tarefa da Operação Lava Jato e manteve o acesso do ex-presidente