Magistrados da Bahia afastados por ordem do STJ, no âmbito da Operação Faroeste.
Manchete

CNJ apura conduta do desembargador Gesivaldo Britto e de outros cinco magistrados do TJBA afastados pelo STJ; Caso envolve conflito fundiário em Santa Rita de Cássia e Formosa do Rio Preto

O ministro Humberto Martins, corregedor nacional de Justiça, instaurou vários procedimentos administrativos contra magistrados do Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA), supostamente envolvidos em esquema de venda de sentenças, afastados por decisão do ministro Og

Reportagem da Folha de S.Paulo critica desembargador Gesivaldo Britto por tentar monitorar atuação de membros do TJBA. Notícia foi veiculada em 29 de maio de 2019.
Manchete

Reportagem da Folha de S.Paulo critica desembargador Gesivaldo Britto por Decreto que objetiva monitorar atuação de membros do TJBA; Desembargador Mário Albiani Júnior classificou medida como mordaça e censura prévia

Reportagem de João Pedro Pitombo publicada nesta quarta-feira (29/05/2019) no Jornal Folha de S.Paulo aborda em tom severamente crítico o Decreto Judiciário N°251, do Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA), publicado na segunda-feira (27) pelo

Páginas 1, 2 e 3 da decisão do Corregedor Nacional de Justiça determinando que o desembargador Gesivaldo Britto e as juízas Marivalda Moutinho e Eliene Oliveira apresentem resposta sobre a Reclamação Disciplinar, referente a atuação em processos judiciais decorrentes de conflito fundiário no Oeste da Bahia.
Manchete

Corregedor Nacional de Justiça determina prazo de 30 dias para que desembargador Gesivaldo Britto e as juízas Marivalda Moutinho e Eliene Oliveira apresentem informações sobre atuação em processos fundiários de Formosa do Rio Preto

Em decisão prolatada na terça-feira (21/05/2019) o ministro Humberto Martins, Corregedor Nacional de Justiça, determinou que no prazo de 30 dias o desembargador Gesivaldo Britto, presidente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA) e as