No Capítulo LXIV (64) do Caso Faroeste, a decisão final prolatada em 18 de dezembro de 2018 pela juíza Marivalda Moutinho em favor do empresário de Barreiras José Valter Dias, condenando o Grupo Econômico dos Okamoto a indenizá-lo e a devolver as terras da antiga Fazenda São José.
Manchete

Capítulo LXIV do Caso Faroeste: Na última parte da decisão final, a relação das matrículas devolvidas à José Valter Dias por ordem da juíza Marivalda Moutinho, sobre as terras da antiga Fazenda São José em Formosa do Rio Preto

Nos Capítulos LXI, LXII e LXIII (61, 62 e 63) do Caso Faroeste, a magistrada Marivalda Almeida Moutinho, ao julgar a Ação de Reintegração de Posse de nº 0000157-61.1990.8.05.0081, que aborda o conflito fundiário-jurídico envolvendo

Em sentença proferida em 18 de dezembro de 2018, a juíza Marivalda Almeida Moutinho condena Grupo Econômico dos Okamoto ao pagamento de prejuízos causados pelo esbulho e turbação referente ao período em que José Valter Dias permaneceu impedido de usufruir as terras da antiga Fazenda São José, em Formosa do Rio Preto.
Manchete

Capítulo LXIII do Caso Faroeste: A juíza Marivalda Moutinho condena Grupo Econômico dos Okamoto ao pagamento de indenização à José Valter Dias pelo esbulho e turbação praticados nas terras da antiga Fazenda São José

O Capítulo LXI (61) do Caso Faroeste narrou que com o saneamento processual realizado pela juíza Marivalda Almeida Moutinho — sobre a Ação de Reintegração de Posse de nº 0000157-61.1990.8.05.0081, que aborda o conflito fundiário-jurídico envolvendo

Capítulo LX (60) do Caso Faroeste revela o contexto da prisão preventiva decretada pelo pleno do TJBA contra o juiz Sérgio Humberto de Quadros Sampaio, por receber propina do Grupo Bom Jesus Agropecuária e garantir a manutenção das terras em Formosa do Rio Preto.
Manchete

Capítulo LX do Caso Faroeste: A prisão preventiva decretada pelo pleno do TJBA contra o juiz Sérgio Humberto Sampaio, por receber propina do Grupo Bom Jesus Agropecuária e garantir a manutenção das terras em Formosa do Rio Preto

Na penúltima semana de outubro de 2021, o Jornal Grande Bahia (JGB) publicou quatro reportagens sobre o Caso Faroeste. Elas abrangem o pedido de Direito de Resposta assinado pelos advogados Rafael Carneiro e Mariana Rabelo,

Páginas do Boletim de Ocorrência n° 00035241/2021 registra invasão da Fazenda Porto Limpo II, situada nas terras da antiga Fazenda São José, em Formosa do Rio Preto e cita nome do delator Nelson José Vígolo e outros como autores do fato
Manchete

Capítulo LVII do Caso Faroeste: Boletim de Ocorrência registra invasão de terras da antiga Fazenda São José e cita nome do delator Nelson José Vígolo e outros como autores; Fato ocorreu em 17 de outubro de 2021, em Formosa do Rio Preto

O conflito fundiário-jurídico que ocorre sobre as terras do oeste da Bahia não está pacificado. Prova deste fato é um documento enviado com exclusividade nesta sexta-feira (22/10/2021) para o Jornal Grande Bahia (JGB) que registra

Capítulo LVI (56) do Caso Faroeste aborda aspectos que permeiam as 606 páginas da Petição nº 13912/DF, na qual são apresentados os termos da delação dos criminosos confessos Sandra Inês Rusciolelli e do filho advogado Vasco Rusciolelli Azevedo.
Manchete

Capítulo LVI do Caso Faroeste: Delação da desembargadora do TJBA Sandra Inês Rusciolelli e do filho é, em tese, uma defesa tácita dos interesses da Bom Jesus Agropecuária e apresenta elementos de fraude à Justiça

o Capítulo LVI (56) do Caso Faroeste aborda aspectos que permeiam as 606 páginas da Petição nº 13912/DF (2020/0321745-4), na qual são apresentados pelo advogado Pedro Henrique Duarte (OAB Bahia nº 22.729) os termos da delação da dupla de criminosos confessos do Caso Faroeste (Inquérito nº 1258/DF) formada pela desembargadora do TJBA Sandra Inês Rusciolelli e o filho, advogado Vasco Rusciolelli Azevedo.

Nascente do Rio Preto, no oeste da Bahia, é ameaçada. A área, maior que a cidade de Recife (PE), está localizada em uma Unidade Estadual de Conservação no Condomínio Agronegócio Fazenda Estrondo, acusado da apropriação ilegal de 444 mil hectares de terras tradicionalmente ocupadas por comunidades geraizeiras.
Manchete

Caso Estrondo: Organizações pedem que Governo da Bahia revogue autorização ilegal para desmatamento de 24.732 hectares no oeste da Bahia; Nascentes do Rio Preto estão sob ameaça de completa degradação

Cinquenta e seis organizações da sociedade civil enviaram, na quarta-feira (01/09/2021), uma carta aberta ao Governador do Estado da Bahia, à Secretaria de Meio Ambiente e a Coordenação de Desenvolvimento Agrário exigindo a revogação da