Cesta básica continua em ritmo de alta em abril de 2022, revela pesquisa da UEFS

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Evolução do valor da cesta básica em Feira de Santana até abril de 2022.
Evolução do valor da cesta básica em Feira de Santana até abril de 2022.

A cesta básica de Feira de Santana subiu 3,69% em abril de 2022, chegando a R$ 529,71. No ano, a cesta básica acumulou alta de 13,66%. Nos últimos 12 meses, o incremento foi de 28,23%, em consonância com a elevação dos preços dos alimentos observada em todo o Brasil. No mundo, a situação não tem sido diferente, vale registrar que o Índice de Preços de Alimentos da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) vem atingido seus maiores níveis desde o início da sua avaliação, em 1990.

Segundo os professores e alunos do curso de Ciências Econômicas da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) ligados ao Programa “Conhecendo a Economia Feirense: custo da cesta básica e indicadores socioeconômicos”, apenas a banana-prata apresentou queda de preço médio em abril (-1,48%), os demais 11 produtos que compõem a cesta tiveram preços médio majorados no mês. As maiores altas foram as do feijão (8,49%), tomate (7,30%), açúcar (6,97%), manteiga (6,80%) e leite (6,05%). Em patamar menor, mas ainda em percentual próximo ao aumento verificado no conjunto da cesta (de 3,69%), apresentaram alta de preço médio o arroz (3,89%) e a farinha (3,35%).

No trimestre, a alta verificada de 7,71% foi impulsionada pelo óleo de soja (26,57%), seguido pelo feijão (18,93%), farinha (13,15%), manteiga (11,73%), açúcar(10,42%), leite (10,14%) e tomate (8,95%). Os demais alimentos também tiveram elevações, mas em patamar inferior ao do conjunto de produtos pesquisados.

Nos últimos 12 meses, para a variação do valor da cesta, de 28,23%, apenas o arroz não contribuiu para o incremento, uma vez que foi o único alimento a registrar queda de preço médio (-8,11%). %. Nesse período, os alimentos que apresentaram as maiores altas foram o tomate (121,3%), o café (77,08%), o açúcar (44,01%) e o óleo de soja (39,11%).

O prato de almoço do cidadão feirense – arroz, feijão e carne – respondeu por 35,98% do valor da cesta básica de abril, percentual pouco inferior ao observado em março, que foi de 36,20%. A explicação para essa queda está no preço médio da carne que subiu menos (1,63%) que a elevação de toda a cesta. O café da manhã – pão, manteiga, café e leite – representou 27,80% do custo da cesta (percentual próximo ao verificado no mês anterior, de 27,75%). As duas refeições juntas participaram com 63,78% do valor total da cesta.

No que se refere ao salário mínimo líquido vigente (salário mínimo descontado a previdência), o valor da cesta básica comprometeu 47,25% do ganho do trabalhador em abril. Trata-se de um comprometimento de 1,68 ponto percentual a mais do que o calculado em março (45,57%). Em relação ao tempo de trabalho gasto para a compra da cesta, verifica-se um consumo de 103 horas e 56 minutos em abril, o que significa um aumento do tempo de trabalho necessário para adquirir a cesta em três horas e 42 minutos em relação ao observado em março.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 121580 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.