“Vou fazer da França uma grande nação ecológica”, diz Emmanuel Macron em discurso da vitória para presidente

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Reeleito à presidência da França, Emmanuel Macron (República em Marcha) agradece votos em discurso diante da Torre Eiffel neste domingo (24/04/2022).
Reeleito à presidência da França, Emmanuel Macron (República em Marcha) agradece votos em discurso diante da Torre Eiffel neste domingo (24/04/2022).

Duas horas após a divulgação dos primeiros resultados da eleição presidencial francesa, na noite deste domingo (24/04/2022), Emmanuel Macron fez um discurso diante da torre Eiffel para celebrar sua vitória. O chefe de Estado, derrotou a líder da extrema direita, Marine Le Pen, com mais de 15 percentuais de diferença.

Foi ao som do hino europeu que Emmanuel Macron (República) subiu ao palco montado no Campo de Marte, a esplanada diante da torre Eiffel, para fazer seu discurso da vitória. Acompanhado de sua mulher Brigitte Macron e de um grupo de crianças e adolescentes, ele foi recebido por milhares de apoiadores.

Após agradecer aqueles que o elegeram, Macron mandou uma mensagem para os que votaram nele como única opção contra a representante da extrema direita Marine Le Pen (Reunião Nacional) neste segundo turno da eleição presidencial.

“Eu sei que muitos votaram para mim não por apoiar minhas ideias e sim para barrar a extrema direita. Quero agradecê-los e dizer que tenho consciência do que esse voto representa para os próximos anos”, declarou.

Nesse momento, o público ensaiou uma vaia contra os opositores, quando foram interrompidos pelo presidente. “Não vaiem ninguém. Desde o início eu pedi que não façam isso. Pois a partir de agora eu não sou mais o candidato de um campo ou de outro, e sim o presidente de todas e todos”, lançou o presidente reeleito, sob aplausos. “O raiva e o descontentamento daqueles que votaram na extrema direita também merecem uma resposta. E essa também será a minha responsabilidade”, disse.

“Vocês escolheram hoje um projeto humanista e ambicioso para a independência do nosso país e pela nossa Europa. Um projeto republicano em seus valores, social e ecológico, baseado no trabalho e na criação”, disse Macron, antes de lançar que espera fazer da França “uma grande nação ecológica”. Sobre a guerra na Ucrânia, o presidente disse que o mundo atravessa “tempos trágicos, onde a França tem que mostrar clareza de suas escolhas. E faremos isso”, martelou.

O centrista Emmanuel Macron obteve mais de 58% dos votos válidos diante de 41,8% da candidata da extrema direita, de acordo com os primeiros resultados divulgados às 20h deste domingo (24), 15h pelo horário de Brasília.

A reeleição de Macron ocorreu em um cenário de descontentamento entre os jovens e entre os eleitores desiludidos do esquerdista Jean-Luc Mélenchon, que recebeu quase 22% dos votos no primeiro turno. A abstenção, entre 27,8% e 29,8% segundo as estimativas, atingiu assim o seu nível mais elevado em um segundo turno desde 1969 (31,3%).

Promessas para segundo mandato

O primeiro mandato de Emmanuel Macron foi marcado por crises – protestos sociais, uma pandemia com milhões de pessoas confinadas e o retorno da guerra na Europa com a invasão russa da Ucrânia – e a França não é o mesmo país de 2017, quando o presidente assumiu o poder.

Agora, suas promessas de transformar o país incluem mais investimento na energia nuclear, alcançar a neutralidade de carbono até 2050 e sua impopular proposta de aumentar a idade de aposentadoria de 62 para 65 anos. Essa medida, contra a qual milhares de pessoas já se manifestaram no início de 2020, anuncia novos protestos massivos, como os que abalaram seu primeiro mandato, especialmente o dos “coletes amarelos”.

A guerra às portas da UE sobrevoou a campanha, mas a principal preocupação dos franceses era seu poder de compra, num contexto de alta dos preços da energia e dos alimentos. Embora Marine Le Pen fosse percebida pelos eleitores como a que melhor entendia os problemas da população, no fim, optaram pela experiência de Macron para lidar com crises, segundo observadores.

*Com informações da RFI.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 121606 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.