TCU abre processo contra Deltan Dallagnol e Rodrigo Janot para que reembolsem Estados dos pagamentos excessivos com diárias e passagens ao atuarem na força-tarefa do Caso Lava Jato

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
TCU acredita que Deltan Dallagnol e Rodrigo Janot poderiam ter usado opções mais econômicas para os deslocamentos e hospedagens da equipe. Dallagnol falou que a medida é uma "clara reação do sistema contra investigadores que dedicam suas vidas ao combate à corrupção".
TCU acredita que Deltan Dallagnol e Rodrigo Janot poderiam ter usado opções mais econômicas para os deslocamentos e hospedagens da equipe. Dallagnol falou que a medida é uma "clara reação do sistema contra investigadores que dedicam suas vidas ao combate à corrupção".

Em decisão unânime, Tribunal de Contas da União (TCU) responsabilizou nesta terça-feira (12/04/2022) o ex-procurador do Ministério Público Federal (MPF), Deltan Dallagnol, e o ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, por eventual pagamento de R$ 2 milhões decorrente de gastos com passagens e diárias para servidores que atuaram no processo da Operação Lava Jato.

De acordo com o UOL, o processo foi apreciado pela Segunda Câmara do TCU, que agora vai investigar o caso e aplicar eventuais ressarcimentos. A decisão teve como relator o ministro Bruno Dantas.

Na investigação, o TCU deverá solicitar ao Ministério Público de Contas que “identifique e elabore proposta de citação dos procuradores que propuseram o modelo de força-tarefa adotado na Lava Jato, analisando especificamente o papel do procurador Deltan Martinazzo Dallagnol, que era conhecido como coordenador da força-tarefa e era o procurador natural do caso”, diz o texto do órgão citado pela mídia.

Caso Dallagnol seja condenado a ressarcimentos por gastos na operação, ele pode sofrer contestações em sua pré-candidatura a deputado federal pelo Podemos, já que um julgamento que o declare culpado pode torná-lo inelegível e retirar seus direitos políticos, conforme define a Lei da Ficha Limpa.

O ex-procurador-geral e o jurista foram procurados pela reportagem para darem seu parecer sobre a decisão. Janot disse que não concederia declarações, já Dallagnol afirmou que a ação é uma “clara reação do sistema contra investigadores que dedicam suas vidas ao combate à corrupção”.

Em sua defesa, ele comparou que os R$ 2 milhões gastos na força-tarefa é um valor bem menor do que o de recuperação de R$ 15 bilhões aos cofres públicos durante a Lava Jato, segundo a mídia.

*Com informações da Sputnik Brasil.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 121819 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.