No nono dia, Operação Especial avança na Ucrânia conforme planejado pelas Forças Armadas da Rússia; Presidente Vladimir Putin dialoga com governantes da França e Alemanha

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Operação na Ucrânia avança conforme planejado, todas as tarefas estão sendo cumpridas, diz presidente da Rússia, Vladimir Putin.
Operação na Ucrânia avança conforme planejado, todas as tarefas estão sendo cumpridas, diz presidente da Rússia, Vladimir Putin.

Durante a Operação Especial, as Forças Armadas da Rússia eliminam instalações da infraestrutura militar ucraniana, sem realizar ataques contra alvos civis em cidades. Os militares russos também organizam corredores humanitários para população civil que foge da violência dos neonazistas e nacionalistas.

Enquanto isso, foram realizadas duas rodadas de negociações entre Moscou e Kiev, por enquanto sem resultados significativos.

O avanço da força militar da Rússia prossegue em território ucraniano pelo nono dia.

Operação Especial Militar da Rússia na Ucrânia

A Operação Especial Militar da Rússia na Ucrânia foi anunciada pelo presidente Vladimir Putin em 24 de fevereiro de 2022. As Forças Armadas da Rússia tem por objetivo eliminar a infraestrutura militar da Ucrânia com uso de armas de alta precisão. Não são realizados ataques contra cidades e não há ameaça para a população civil, segundo o Ministério da Defasa da Rússia.

Em 3 de março, o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, declarou que a operação especial será levada ao seu fim mesmo em meio às negociações com Kiev e qualquer acordo de paz deve incluir condições de desmilitarização da Ucrânia.

Reunião com o Conselho de Segurança da Rússia 

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, realizou um encontro com Conselho de Segurança da Rússia na tarde desta quinta-feira (03/04/2022) e falou sobre operação especial da Rússia na Ucrânia.

Putin sublinhou que os soldados e oficiais russos agem com toda a coragem, como verdadeiros heróis, com todo o entendimento de sua tarefa e continuam na linha de combate mesmo com ferimentos. Na região do vilarejo de Volnovakha foi rompida a defesa reforçada por nacionalistas durante oito anos.

“Tenho orgulho de ser parte de um país multinacional, onde tem mais de 300 grupos étnicos”, disse Putin falando sobre o desempenho de soldados da Rússia de várias nacionalidades durante a operação. O presidente russo sublinhou que russos e ucranianos são um povo único: “Nunca vou recusar isso”, disse Putin.

Putin destacou que os militares da Rússia garantiram corredor humanitário, assim como transporte para que a população civil possa sair, mas nacionalistas impedem que isso aconteça. Enquanto isso, nacionalistas na Ucrânia e mercenários estrangeiros, incluindo do Oriente Médio, usam população civil como escudo humano.

Além disso, eles já fizeram reféns centenas de estudantes. Centenas de estrangeiros tentam deixar a zona de combate, mas são mantidos reféns, lhes sugerem ir através da cidade de Lvov. Em vez de tirar equipamento bélico de longe da população civil, nacionalistas enviam armamento adicional. “Já falei que tem fotos de como eles instalam equipamento bélico em distritos civis”.

O presidente disse que os militares e oficiais russos tentam evitar vítimas entre a população civil e por isso, às vezes, ficam feridos. Putin também anunciou pagamentos para militares que participam da operação e para as famílias dos militares que morreram durante a ação.
Putin também declarou que “a operação especial militar avança em estrita conformidade com o gráfico, segundo o plano. Todas as tarefas planejadas estão sendo realizadas com sucesso”.

Presidente Vladimir Putin diz à governantes da França e Alemanha que planeja assinar decreto para reconhecer repúblicas situadas na região de Donbass

O presidente russo, Vladimir Putin, informou nesta quinta-feira (03/03/2022) ao chanceler alemão Olaf Scholz e ao presidente francês Emmanuel Macron que planeja assinar um decreto reconhecendo as autoproclamadas Repúblicas Populares de Donetsk e Lugansk (DPR e LPR) em um futuro próximo, disse o serviço de imprensa do Kremlin após o telefone de Putin.

O presidente russo informou os líderes alemães e franceses sobre os resultados da reunião de hoje do Conselho de Segurança da Rússia, que se concentrou na situação atual em torno do Donbass no contexto da resolução da câmara baixa do parlamento russo sobre o reconhecimento das repúblicas do Donbass.

No início do dia, os líderes da DPR e da LPR pediram o reconhecimento da soberania de suas repúblicas em meio à agressão da Ucrânia, intenso bombardeio das repúblicas de Donbass, matando e ferindo a população civil.

“O presidente russo disse que planeja assinar um decreto correspondente em um futuro próximo”, disse o Kremlin.

De acordo com o serviço de imprensa do Kremlin, Macron e Scholz disseram estar desapontados com seus planos de reconhecer a independência das repúblicas do Donbass. “O presidente francês e a chanceler alemã expressaram decepção com tais desenvolvimentos”, disse.

Ao mesmo tempo, Macron e Scholz “expressaram sua disposição para continuar os contatos”, acrescentou o Kremlin.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 123317 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.