No 32º dia da Operação Especial da Rússia na Ucrânia, forças militares destroem com arma de alta precisão e líderes defendem integração da Região de Donbass à Rússia

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Forças russas destroem com arma de alta precisão grande base de combustível nos arredores de Lvov.
Forças russas destroem com arma de alta precisão grande base de combustível nos arredores de Lvov.

Com armas aéreas de longo alcance, as Forças Armadas da Rússia destruíram uma grande base de combustível na área da cidade de Lvov, no oeste da Ucrânia, disse aos jornalistas neste domingo (27/03/2022) o representante oficial do Ministério da Defesa da Rússia, major-general Igor Konashenkov.

“Em 26 de março, com armas aéreas de alta precisão e de longo alcance, foi destruída uma grande base de combustível perto da cidade de Lvov que fornecia combustível às tropas ucranianas nas regiões ocidentais da Ucrânia, bem como perto de Kiev”, declarou ele.

Acrescenta-se que, com mísseis de cruzeiro de alta precisão, as forças russas destruíram oficinas das instalações de reparação de equipamentos eletrônicos de Lvov, onde estava sendo realizado o reparo e modernização de sistemas de mísseis antiaéreos Tor e S-125.

O major-general russo informou também que com uma arma naval de longo alcance e alta precisão foi atingido um depósito de mísseis dos sistemas de defesa antiaérea S-300 e Buk localizado a 30 km de Kiev.

Konashenkov disse que nas últimas 24 horas a Força Aeroespacial da Rússia destruiu 67 alvos militares ucranianos, incluindo dois postos de comando.

“[…] Entre eles [alvos] dois postos de comando, três depósitos de armas e munições, 11 postos avançados de unidades das Forças Armadas ucranianas e 20 áreas de acumulação de equipamentos militares”, afirmou ele.

Além disso, o representante da entidade militar disse que, durante a noite, meios de defesa antiaérea da Rússia destruíram 18 veículos aéreos não tripulados ucranianos.

Segundo o Ministério da Defesa, as Forças Armadas apenas atacam a infraestrutura militar e as tropas ucranianas.

Em 24 de fevereiro, a Rússia anunciou uma operação militar especial na Ucrânia, em resposta ao pedido de assistência militar das repúblicas populares de Donetsk e Lugansk (RPD e RPL, respectivamente).

Líder da RPL anuncia possível referendo sobre adesão da república popular à Rússia

O líder da República Popular de Lugansk (RPL), Leonid Pasechnik, afirmou que no futuro próximo no território da república pode ser realizado um referendo quanto à adesão à Rússia.

O líder de Lugansk não descartou que um referendo sobre a adesão à Rússia possa ser realizado na região em um futuro próximo.

“Acredito que em um futuro próximo no território da república será realizado um referendo, onde a população exercerá seu direito constitucional absoluto e expressará sua opinião sobre a adesão à Rússia”, afirmou.

O senador russo Andrei Klishas afirmou que as repúblicas de Lugansk e Donetsk têm o direito de decidir sobre a adesão à Rússia se isso não for contra as suas constituições, Moscou reconheceu sua soberania.

No dia 21 de fevereiro, Putin anunciou o reconhecimento da independência das repúblicas populares de Donetsk e Lugansk. As repúblicas do Donbass declararam sua autonomia em 2014, após um golpe de Estado na Ucrânia.

Após a decisão do presidente, os países ocidentais passaram a implementar novas sanções contra a Rússia.

No dia 23 de fevereiro o presidente dos EUA, Joe Biden, apresentou um conjunto de penalizações contra o gasoduto russo Nord Stream 2 (Corrente do Norte 2). Biden enfatizou que as medidas “são outra parte de nossa parcela inicial de sanções em resposta às ações da Rússia na Ucrânia”.

Em 24 de fevereiro de 2022, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, anunciou o início de uma operação militar especial para “desmilitarização e desnazificação da Ucrânia”.

Durante a operação, as Forças Armadas da Rússia eliminam instalações da infraestrutura militar ucraniana, sem realizar ataques contra alvos civis em cidades. Os militares russos também organizam corredores humanitários para a população civil que foge da violência dos neonazistas e nacionalistas.

32º dia da Operação Especial da Rússia na Ucrânia

Em 24 de fevereiro de 2022, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, anunciou o início de uma operação especial militar para “desmilitarização e desnazificação da Ucrânia”.

Durante a operação, as Forças Armadas da Rússia eliminam instalações da infraestrutura militar ucraniana, sem realizar ataques contra alvos civis em cidades. Os militares russos também organizam corredores humanitários para população civil que foge da violência dos neonazistas e nacionalistas.

Ao mesmo tempo, já foram realizadas quatro rodadas de negociações entre Moscou e Kiev, por enquanto sem resultados significativos.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 10093 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).