Assembleia Geral da ONU adota resolução sobre situação humanitária na Ucrânia

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Uma visão ampla do salão da Assembleia Geral após a votação do projeto de resolução sobre a situação na Ucrânia. A resolução foi aprovada por votação nominal (140-5-38).
Redigido por França e México, documento da ONU recebeu 140 votos a favor, 5 contra e 38 abstenções; texto pede corredor humanitário e exige fim dos combates e retirada das tropas russas do país.

Uma resolução sobre as consequências humanitárias da agressão da Rússia contra a Ucrânia foi aprovada, nesta quinta-feira (24/03/2022), pela Assembleia Geral da ONU.

Após dois dias de debates, o texto recebeu 140 votos a favor, cinco contra e 38 abstenções. A Casa estava avaliando dois projetos de resolução sobre o tema, mas somente o texto, apoiado pela Ucrânia, foi aceito no final.

África do Sul

A resolução exige o fim imediato dos combates e a retirada das tropas russas da Ucrânia. Neste 24 de março, a ofensiva russa completa um mês.

O texto ainda responsabiliza a Rússia por criar uma situação humanitária terrível para os ucranianos.

A votação ocorreu durante a segunda sessão especial de emergência da Assembleia Geral sobre a Ucrânia. Para os países-membros, a votação desta quinta-feira é um reforço para a resolução aprovada, em 2 de março, por 141 votos a favor e que repudiava a ofensiva russa à Ucrânia.

O segundo texto, que não foi aprovado, havia sido colocado em discussão pela África do Sul, na quarta-feira, e sequer mencionava a Rússia.

O embaixador ucraniano junto à ONU, Sergiy Kyslytsya, falou de um “desastre humanitário” causado pela invasão das tropas russas ao seu país. Para ele, o conflito tem o potencial de se espalhar pelo resto do mundo.

Polônia

Quase 4 milhões de pessoas já fugiram da Ucrânia desde o início da violência. Deste total, mais da metade ou 2,2 milhões foram abrigados na Polônia.

A Agência da ONU para Refugiados, Acnur, descreve a situação como a pior crise de refugiados desde a Segunda Guerra Mundial.

Nesta quinta-feira, o Unicef lançou um alerta sobre a quantidade de crianças ucranianas que tiveram que fugir de suas casas desde o início da ofensiva. O número representa metade da população de menores de idade do país.

Ao assumir a tribuna, o embaixador da Rússia, Vasily Nebenzia, afirmou que o texto ucraniano “retratava um cenário falso e de dimensão unilateral”.

Segundo ele, foram ignorados os motivos da crise e o papel do Ocidente, que “utiliza a Ucrânia como uma marionete em seu jogo geopolítico contra a Rússia.”

*Com informações da ONU News.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 121811 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.