Técnica sem agulha e cirurgia revoluciona combate à flacidez e gordura localizada

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Para combater a flacidez e gordura corporal, o procedimento utiliza emissões de ondas sonoras concentradas.
Para combater a flacidez e gordura corporal, o procedimento utiliza emissões de ondas sonoras concentradas.

Para quem evita a qualquer custo agulhas e procedimentos cirúrgicos para estar em boa forma e de bem com o próprio corpo, o Hifu (do inglês ultrassonografia focal de alta-intensidade) oferece procedimentos confortáveis e não invasivos com resultados satisfatórios contra a flacidez e o acúmulo de gordura que tanto incomoda as mulheres.

Para combater a flacidez e gordura corporal, o procedimento utiliza emissões de ondas sonoras concentradas em um ponto específico, sem a dispersão descontrolada de energia, gerando calor por efeito termomecânico. Nesse processo, as células se agrupam gerando colágeno e a gordura é destruída sem comprometer outras estruturas.

O Hifu é uma tecnologia muito utilizada também para harmonização facial e corporal, tratamento de estrias e volume de fibras musculares, com resultado observado imediatamente após a aplicação, porém seus efeitos fisiológicos são vistos em até seis meses após a aplicação, explica Maria Hartmann, especialista em estética.

A nova tecnologia, disponível na Clínica Hartmann, passou a ser uma alternativa aos tratamentos convencionais ao utilizar técnicas, como o ultrassom macrofocado e microfocado. O intervalo de sessão tem uma variação que depende do propósito mensurado pelo paciente. Não se repete antes de três meses no mesmo local, no entanto, há intervalos de 21 dias em outras áreas do corpo.

“A energia focalizada é entregue ao tecido em forma de disparos, promovendo a contração tecidual de forma não-cirúrgica e não-invasiva para gerar contração imediata do colágeno. A epiderme não sofre danos, por isso não há restrições no que se refere à exposição solar e a rotina de trabalho”, enfatiza Maria Hartmann.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 10025 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).