Plano Estadual de Segurança Hídrica contribui para prevenção e controle de inundações, diz SIHS Bahia

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Vista da Barragem Horácio Sodré, no rio Colônia, em Itapé.
Vista da Barragem Horácio Sodré, no rio Colônia, em Itapé.

Em fase de elaboração pela Secretaria de Infraestrutura Hídrica e Saneamento da Bahia (SIHS) e com 45% dos trabalhos executados, o Plano Estadual de Segurança Hídrica (PESH) é um importante instrumento de planejamento do estado. Ele tem como objetivo desenvolver diagnósticos, executar a atualização do balanço hídrico e definir as principais intervenções estratégicas para a segurança hídrica na Bahia, além de proporcionar a elaboração de projetos de preservação e recuperação dos principais rios do nosso estado e seus afluentes.

Neste instrumento também estão previstas a identificação de áreas suscetíveis a inundações nas diversas bacias hidrográficas do estado e a indicação de intervenções. Entre elas está a construção de barragens com a função de controle de cheias, como as que foram registradas nos últimos meses no sul e extremo sul da Bahia.

“O Governo do Estado se planeja para amenizar os efeitos de condições climáticas excepcionais, como as enfrentadas no mês de dezembro de 2021. Pudemos observar o funcionamento de algumas barragens controlando a vazão dos rios, evitando inundações das áreas situadas a jusante dessas barragens. Neste sentido, a elaboração do PESH busca estabelecer um cenário ideal da oferta de água, em que a infraestrutura hídrica esteja planejada, dimensionada, implantada e gerida adequadamente, identificando obras estruturantes que sejam de relevância para os polos de desenvolvimento nos 417 municípios do nosso Estado”, destacou o titular da SIHS, Leonardo Góes.

Controle de cheias

Os principais barramentos que atuaram no controle de inundações, durante o período chuvoso, foram as barragens da Pedra, localizada no município de Jequié, e a de Pedra do Cavalo, localizada entre os municípios de Cachoeira e São Felix.

A barragem da Pedra, operada pela Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), controlou a vazão do rio de Contas, defluindo no máximo 800 metros cúbicos de água por segundo, evitando que a cidade de Jequié fosse atingida pelas enchentes, enquanto a barragem de Pedra do Cavalo, operada pela Companhia de Engenharia Hídrica e Saneamento (Cerb), vinculada à SIHS, e pela Votorantim, manteve a vazão liberada para o rio Paraguaçu abaixo dos 1.500 metros cúbicos por segundo, preservando as cidades de Cachoeira e São Félix.

Outro destaque é a barragem do Rio Colônia, entregue pelo Governo da Bahia em 2018, que evitou maiores consequências para a cidade de Itabuna, durante os temporais da última cheia ocorrida no mês de dezembro de 2021.

Atualmente, uma outra barragem importante que exerce a função de contenção é a de Sobradinho. A vazão afluente de Sobradinho está na casa dos 6.000 metros cúbicos por segundo, enquanto a vazão liberada é de apenas 4.000 metros cúbicos por segundo. Dessa forma, a estrutura está amortecendo a enchente ao longo do trecho a sua jusante, reduzindo os efeitos das inundações que ocorrem nesses períodos de vazões elevadas, principalmente nos trechos do Sub Médio e Baixo São Francisco.

Vista da Barragem Horácio Sodré, no rio Colônia, em Itapé.
Vista da Barragem Horácio Sodré, no rio Colônia, em Itapé.
Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 122988 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.