Mais de 1,8 mil pessoas detidas na Rússia por protestarem contra a guerra; Governo Zelensky é acusado de genocídio do povo russo na Ucrânia

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Escritório de Direitos Humanos lembra que ação militar na Ucrânia viola a lei internacional e já há relatos de civis entre as vítimas . Promotor do Tribunal Penal Internacional declara que TPI poderá exercer sua jurisdição e investigar crimes de guerra e contra a humanidade cometidos em território ucraniano desde 2014. 
Escritório de Direitos Humanos lembra que ação militar na Ucrânia viola a lei internacional e já há relatos de civis entre as vítimas . Promotor do Tribunal Penal Internacional declara que TPI poderá exercer sua jurisdição e investigar crimes de guerra e contra a humanidade cometidos em território ucraniano desde 2014. 

O Escritório de Direitos Humanos da ONU revelou nesta sexta-feira (25/02/2022) ter recebido relatos de que civis estão entre as vítimas da invasão militar que ocorre na Ucrânia.

Em Genebra, a porta-voz do Escritório, Ravina Shamdasani, fez um novo apelo ao fim imediato da escalada militar por parte da Rússia, lembrando que a situação é uma violação clara da lei internacional.

Detenções na Rússia 

Segundo Ravina Shamdasani, ocorreram na quinta-feira várias manifestações na própria Rússia, de pessoas que são contra a guerra. Segundo a porta-voz, mais de 1,8 mil pessoas foram detidas durante os protestos, e não se sabe ainda quantas já foram liberadas.

Prender pessoas que exercem seu direito à liberdade de expressão constitue uma privação arbitrária da liberdade, por isso, o Escritório de Direitos Humanos da ONU exige a libertação imediata de todos os detidos na Rússia.

A porta-voz reforçou as declarações da alta comissária da ONU para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet : “países que falharem em tomar medidas para resolver suas disputas internacionais de forma pacífica deixam de cumprir com a obrigação de proteger o direito à vida”. Por isso, Bachelet apela ao respeito total à lei internacional humanitária.

Investigação de crimes de guerra  

O promotor do Tribunal Penal Internacional, TPI, também está acompanhando de perto a situação na Ucrânia. Nesta sexta-feira, Karim A.A. Khan QC declarou que o Tribunal poderá “exercer sua jurisdição para investigar qualquer ato de genocídio, crime contra a humanidade e crime de guerra cometido em território ucraniano desde 2014”.

O promotor do TPI destaca que “qualquer pessoa que cometa esses crimes poderá ser alvo de acusação perante à Corte, que investiga crimes de guerra. Ele lembra ser imperativo que todas as partes em conflito respeitem suas obrigações perante à lei humanitária internacional.

*Com informações da ONU News.

Leia +

Rússia acusa de Governo Zelensky de planejar genocídio na Ucrânia; Presidente Vladimir Putin diz que EUA provocaram conflito com bases da OTAN no Leste e apoio ao regime de neonazistas

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 122944 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.