Vacinar crianças pode ajudar a diminuir a transmissão, diz representante da OMS

Mas em países com baixa cobertura vacinal, a prioridade não deve ser os menores de idade. Pediatra e diretora-geral-adjunta para Medicamentos e Vacinação da agência da ONU destaca que na maioria dos casos, crianças entre 5 a 11 anos infectadas pelo coronavírus desenvolvem casos leves da doença.
Mas em países com baixa cobertura vacinal, a prioridade não deve ser os menores de idade. Pediatra e diretora-geral-adjunta para Medicamentos e Vacinação da agência da ONU destaca que na maioria dos casos, crianças entre 5 a 11 anos infectadas pelo coronavírus desenvolvem casos leves da doença.

Muitos países já estão vacinando crianças de cinco a 11 anos de idade contra a Covid-19, enquanto outras nações se preparam para aplicar as doses neste grupo.

Com isso, muitas famílias podem ainda ter dúvidas ou receios sobre imunizar seus filhos. A diretora-geral-adjunta da Organização Mundial da Saúde, OMS, para Medicamentos e Vacinação afirma que a agência tem uma orientação muito clara sobre o assunto.

Combate à transmissão

A pediatra Mariângela Simão explicou, de Genebra, que nos países onde boa parte da população adulta está imunizada, a prioridade deve ser vacinar as crianças que tem alguma doença associada.

“É uma dualidade: naqueles países que já estão com uma boa cobertura vacinal, vacinar as crianças vai ajudar a diminuir a transmissão, no retorno à escola e tudo o mais. Já aqueles países que não têm boa cobertura vacinal tem que proteger primeiro quem tem maior risco de adoecer gravemente e morrer.”

Mariângela Simão garante que “na imensa maioria dos casos, as crianças infectadas com Covid-19 desenvolvem formas leves da doença”.

A especialista brasileira lembra que até o momento, a OMS autorizou apenas a vacina da Pfizer para ser aplicada em menores de cinco a 11 anos de idade.

Estudos sobre a Ômicron

Segundo a diretora-adjunta da agência da ONU, ainda são necessários estudos mais robustos para se comprovar a eficácia e segurança de outras vacinas contra a Covid-19 para esta faixa etária.

Mariângela Simão alerta também que ainda não está de fato comprovado se a variante Ômicron é mesmo mais leve do que as anteriores.

*Com informações da ONU News.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 116717 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.