Implantação de fusegate na barragem de Ponto Novo leva água para consumo e produção a mais de 300 mil pessoas

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Barragem de Ponto Novo usa tecnologia de construção tipo fusegate.
Barragem de Ponto Novo usa tecnologia de construção tipo fusegate.

O Governo do Estado investiu mais de R$14 milhões, para garantir que mais de 300 mil pessoas também passassem a ter acesso à água para consumo e produção. Isso foi possível após a implantação, na barragem do município de Ponto Novo, do fusegate – uma tecnologia francesa que possibilitou o aumento da capacidade de armazenamento de água da barragem em 24%.

A tecnologia implantada em 2018, aliada ao apoio direto do Pró-Semiárido, também projeto do Governo da Bahia, que proporcionou, entre outras ações, a oferta de assistência técnica especializada, permitiu ainda que cerca de 145 famílias irrigantes pudessem voltar a produzir frutíferas e, consequentemente reativar o perímetro irrigado do município, gerando alimento e renda, e também o planejamento da produção agrícola e das pequenas criações dessas famílias.

“Houve um colapso hídrico no início dos anos 2015-2016 culminando com o fechamento do projeto de irrigação. Algumas famílias precisaram […] sair, trabalhar em outros estados. E, em 2018, o Pró-Semiárido chegou em Ponto Novo. Foi construído o Fusegate e, a partir daí, com esse aumento do acúmulo de água da barragem de ponto novo […] saímos de cerca de 40 para 50 milhões de metros cúbicos de acúmulo de água na barragem e possibilitou a retomada das atividades do projeto de irrigação aqui”, relembra o irrigante Eleilson Gama, que vivenciou todo o processo e hoje comemora a produção no seu lote.

Este e outros depoimentos sobre como essa iniciativa promoveu a transformação da vida das famílias de, pelo menos, 10 municípios do entorno de Ponto Novo, podem ser conferidos no vídeo (https://www.youtube.com/watch?v=RQBJ6ZbihtE&t=207s) produzido recentemente pelo Governo do Estado, que traz ainda imagens da barragem vertendo água, neste período em que as chuvas têm abastecido a cabeceira dos rios que alimentam o reservatório.

Jordânia Alves mora na comunidade de Canavieira, em Senhor do Bonfim. Lá, as famílias hoje consomem a água encanada que vem da barragem de Ponto Novo. “Através do Pró-Semiárido, hoje a gente tem água de qualidade […] nem só água, qualidade de vida porque antes a gente tinha que sair daqui […] para ganhar a vida […] e hoje, a gente foi capacitado para sobreviver do que a gente tem na comunidade, das riquezas que a gente tem aqui que não são poucas”, afirma Jordânia, lembrando a ação do projeto, com as formações e assistência técnica, que vêm contribuindo para potencializar a sua produção.

A previsão é de que ainda neste ano, o Pró-Semiárido possibilite que 60 famílias assentadas da reforma agrária possam também usufruir da água do perímetro irrigado de Ponto Novo, e produzir alimentos para consumo e comercialização. “Após a implantação do Fusegate aqui, a expectativa é fazer o que a gente sempre fez, com os meios que a gente precisa, que é a água né. Ela é fundamental, não é à toa que a gente fala: a água é vida e a terra é mãe”, planeja a camponesa assentada do Movimento de Pequenos Agricultores (MPA), Marli Souza.

O Pró-Semiárido é um projeto do Governo da Bahia, executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), com cofinanciamento do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida).

Confira vídeo

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 10096 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).