Festa de Iemanjá está suspensa em Salvador em 2022, diz prefeito Bruno Reis

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Bruno Reis (DEM), prefeito de Salvador.
Bruno Reis (DEM), prefeito de Salvador.

Pelo segundo ano consecutivo, Salvador não terá a tradicional Festa de Iemanjá, celebrada em 2 de fevereiro, no bairro do Rio Vermelho. A medida foi tomada pela Prefeitura, diante do aumento do número de casos de Covid-19 e da ocupação de leitos de UTI. Os detalhes foram apresentados pelo prefeito Bruno Reis, nesta quinta-feira (27/01/2022), durante a entrega da 3ª etapa da requalificação do entorno do Farol de Itapuã.

Dentre as medidas municipais a serem adotadas nesse dia, está a proibição da realização de qualquer ação de emissão sonora em todo o trecho da Avenida Oceânica entre o restaurante Sukiyaki e a Vila Caramuru, a exemplo de carros de som. Também nesse trecho estará vetada a atuação do comércio ambulante nas vias. Os bares e restaurantes poderão atuar em horário normal, com a utilização apenas de som ambiente.

Estará interditado o acesso de pessoas às praias entre o restaurante Sukiyaki e a Colônia de Pescadores Z1, a partir de zero hora do dia 1º de fevereiro até as 6h do dia 3 de fevereiro. O trânsito estará liberado normalmente na Avenida Oceânica. Já o presente de Iemanjá será levado diretamente ao mar, sem qualquer permanência na Colônia de Pescadores, para evitar aglomerações. As medidas serão fiscalizadas pelos órgãos municipais.

“O apelo que fazemos é que Salvador possui mais de 60km de orla, então quem quer mandar seu presente para Iemanjá pode fazer em qualquer lugar da cidade, que Iemanjá vai receber a oferenda. Não precisa ir apenas ao Rio Vermelho para isso. Precisamos da colaboração de todos neste momento”, declarou Bruno Reis.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 10031 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).