Presidente da ALBA lamenta morte de Marília Mendonça e do produtor baiano Henrique Bomfim Ribeiro

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Henrique Bomfim Ribeiro com a irmã Clara e os pais Marisa e George.
Henrique Bomfim Ribeiro com a irmã Clara e os pais Marisa e George.

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) deputado Adolfo Menezes lamentou, nesta sexta-feira (05/11/2021), as mortes da cantora Marília Mendonça e do produtor musical, natural da Bahia, Henrique Bomfim Ribeiro, em acidente aéreo ocorrido em Minas Gerais. Além deles, faleceram no acidente o tio da cantora Abicieli Silveira Dias Filho, o piloto e o co-piloto.

“A morte de Marília Mendonça, do baiano Henrique Ribeiro e dos demais ocupantes da aeronave é uma tragédia que abala ainda mais o Brasil em um período de tantas perdas com a Covid-19. É uma dor imensa para a juventude brasileira, mas é, sobretudo, uma perda irreparável para os pais e familiares destes jovens, no começo de suas vidas e no auge do sucesso”, declarou o chefe do Legislativo estadual.

Adolfo estendeu suas condolências aos pais de Henrique Ribeiro, Marisa e George, à irmã Clara e a todos os familiares e amigos do produtor musical baiano, que iria fazer 33 anos no próximo 9 de dezembro. Ele deixa um filho de 8 anos, Bernardo.

Senadores estão consternados com a morte da cantora Marília Mendonça

Senadores reagiram com choque e pesar à notícia da morte da cantora Marília Mendonça nesta sexta-feira (5). Ela e dois membros da sua equipe estavam em um avião particular que caiu nas proximidades de Caratinga (MG), onde Marília faria um show. Além deles, o piloto e o co-piloto da aeronave também morreram no acidente.

Pelas redes sociais, vários membros do Senado expressaram tristeza pela perda da cantora de 26 anos, uma das artistas mais populares da música brasileira. Os senadores também transmitiram seus sentimentos aos familiares e amigos das vítimas.

Marília Dias Mendonça nasceu em Cristianópolis (GO), em 1995. Começou a escrever músicas com apenas 12 anos e teve composições gravadas por artistas como Wesley Safadão, Cristiano Araújo e as duplas sertanejas João Neto & Frederico e Jorge & Mateus. Iniciou sua carreira como cantora em 2014, logo se tornando um dos principais nomes da música sertaneja e referência no movimento de mulheres dentro do estilo, o “feminejo”.

Em 2019, Marília conquistou o posto de artista brasileira mais ouvida no YouTube, ficando em 13º lugar no ranking mundial. No mesmo ano, ela foi a artista feminina mais ouvida do Brasil na plataforma de streaming Spotify. Seus quatro álbuns somam cerca de 4 milhões de cópias vendidas. Ela recebeu prêmios como o Troféu Imprensa de Revelação do Ano, em 2017, e o Grammy Latino de Melhor Álbum de Música Sertaneja de 2019, por “Todos os Cantos”.

Marília Mendonça deixa um filho, Léo Mendonça Huff, que vai completar dois anos em dezembro.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 123164 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.