João Eurico Matta | Por Joaci Góes

João Eurico Matta (Salvador, 16 de julho de 1935 — Salvador, 9 de novembro de 2021) atuou como administrador, advogado, professor e escritor. Foi membro da cadeira nº 16 da Academia de Letras da Bahia.
João Eurico Matta (Salvador, 16 de julho de 1935 — Salvador, 9 de novembro de 2021) atuou como administrador, advogado, professor e escritor. Foi membro da cadeira nº 16 da Academia de Letras da Bahia.

Ao velho amigo Durval Olivieri!

Dizer que o professor João Eurico Matta, nascido em 16 de julho de 1935, foi o homem mais culto da minha geração, equivale a defini-lo a partir, apenas, de uma de suas dimensões.

Poliglota de escol, João Eurico Matta, circulava com aplaudida desenvoltura por domínios tão distintos como a literatura, a história, a sociologia, a filosofia, a administração, sem falar na língua portuguesa, campo em que estreou no magistério, em 1954, aos dezenove anos, quando ainda cursava o segundo ano de Direito. Mais tarde alternaria o ensino de disciplinas tão diferentes como Literatura Contemporânea, Educação, várias disciplinas no campo da Administração Pública e Privada, áreas em que foi pioneiro na Bahia.

Sua diversificada produção intelectual incluiu títulos como  Filosofia e Divórcio, de 1953, quando contava, apenas, 18 anos;  Auguste Comte e a crise da Física Contemporânea, de 1957, aos 22 anos; Os intelectuais soviéticos e a luta ideológica em Física, de 1958; Direito, humanismo e liberdade, discurso de formatura, em 1958; Gênese de um processo de mudança administrativa, 1971; Desenvolvimento Organizacional e Treinamento, 1979; Dinâmica de Grupo e Desenvolvimento de Organizações, em dois volumes, 1975; Escola de Administração: vinte anos de história institucional, 1979; A influência da Teoria da Decisão de Herbert A. Simon, 1979; Cientificismo e religiosidade em Antero de Quental e Jackson Figueiredo, 1993; Trajetória intelectual de Afrânio Coutinho, 2003; Modernização do Poder Executivo na Bahia: Estratégia e Dinâmica do Programa de Reforma Administrativa do Governo Lomanto Júnior (1963-1967), 2017. Nesta obra, Matta aborda o processo de declínio da estrutura administrativa da Bahia, na época, até a implantação de uma nova estrutura moderna. A mais disso, ele proferiu inúmeras conferências e escreveu artigos e prefácios para conteúdos variados.

Além de Professor Emérito da UFBA, onde ensinou por 38 anos, João Eurico dirigiu o ISP – Instituto de Serviço Público; foi secretário extraordinário para a Reforma Administrativa, entre 1963 e 1967, durante o governo Lomanto Júnior; presidiu o Conselho Regional de Administração da Bahia, 1997-2006; foi fundador e presidente de honra da Academia Baiana de Ciência da Administração; foi titular de Administração da Universidade Católica do Salvador. A consultoria empresarial que desenvolveu ao lado do saudoso Alaor Coutinho ganhou destaque nacional.

Membro de várias entidades culturais, tive a honra de partilhar com ele a convivência no IGHB – Instituto Geográfico e Histórico da Bahia; na ALAS – Academia de Letras e Artes de Salvador; na ABE – Academia Baiana de Educação e na Academia de Letras da Bahia, onde substituiu o notável jurista Orlando Gomes.

Mantive, sempre, diante de João Eurico Matta a postura de um reverente discípulo perante um respeitável e iluminado mestre que me deu a honra de, generosamente, prefaciar o meu livro de 2018 – Como Governar um estado; o caso da Bahia.

A esse prodigioso currículo impõe-se acrescer a exemplaridade do cidadão estadista, dotado de olímpica imperturbabilidade, que parecia emerso das páginas do If de Rudyard Kipling, como intelectual, amigo e inigualável chefe de família, de refinada educação que herdou do berço fecundo presidido pelos pais Euníce Tavares Freire Matta e Edgard Matta, o legendário penalista que atraía multidões para acompanhar o brilho de seu desempenho no Tribunal do Júri.

Tudo isso no corpo de um Adónis moderno, beleza física que o tempo, este canalha, não ousou subtrair de nosso pranteado amigo, que nos deixou, no último dia 9, aos 86 anos, 3 meses e 24 dias. Motivo de justificável orgulho para Geysa, mulher, musa e inseparável amiga, filhos e netos: Alfredo, Maria Helena, Maria Cristina, Rebeca, João Paulo, Camila, Giovana, Vanessa, Priscila, João Marcelo e Francisco.

Em apertada síntese: num concurso olímpico, João Eurico Matta levaria a medalha de ouro como a personalidade mais educada do nosso tempo.

*Joaci Fonseca de Góes, advogado, jornalista, empresário e ex-deputado federal constituinte.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 116572 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.