Governo dos EUA colocam em lista negra 27 entidades, incluindo 12 da China, alegando segurança nacional

Sede do Escritório de Indústria e Segurança do Departamento de Comércio dos Estados Unidos da América (EUA).
Sede do Escritório de Indústria e Segurança do Departamento de Comércio dos Estados Unidos da América (EUA).

O Escritório de Indústria e Segurança do Departamento de Comércio dos Estados Unidos da América (EUA) decidiu que 27 entidades, incluindo 12 da China e uma da Rússia, precisarão no mínimo de receber licenças para exportação ou não as terão mesmo.

Os Estados Unidos da América (EUA) bloquearam por definição 27 entidades do exterior por preocupações de segurança nacional, incluindo 12 da China, comunicou na quarta-feira (24/11/2021) o Escritório de Indústria e Segurança (BIS, na sigla em inglês) do Departamento de Comércio norte-americano.

“Nesta regra final, o Escritório de Indústria e Segurança (BIS) emenda os Regulamentos da Administração de Exportações (EAR [na sigla em inglês]) adicionando 27 entidades à sua lista. Estas 27 entidades foram determinadas pelo governo dos EUA como agindo contra os interesses de segurança nacional ou da política externa dos Estados Unidos”, disse o BIS.

Além das 12 entidades da China, a lista contém entidades do Japão, Paquistão e Singapura, além de uma entidade sediada na Rússia.

A lista inclui três afiliadas da Corad Technology Limited chinesa, na China, Singapura e Japão. Segundo o BIS, é uma entidade banida em 2019 por seu papel em vender tecnologia dos EUA e de outros países ocidentais para os programas militar e espacial do Irã. Elas também cooperaram com empresas de fachada da Coreia do Norte, com o governo da China, e entidades subordinadas da indústria da defesa, de acordo com o documento.

Além dessas, foram banidas outras oito entidades por sua participação da modernização militar do Exército de Libertação Popular (ELP) da China, e pela tentativa de obter itens de origem norte-americana para apoiar aplicações militares, acrescentou o documento, assinado por Matthew Borman, vice-secretário assistente da Administração de Exportações.

As outras entidades foram designadas por seu papel no programa de mísseis balísticos do Paquistão e “programa nuclear não monitorizado”.

“[…] O ERC [Comitê de Revisão do Usuário Final, traduzindo da sigla inglesa] determinou que a conduta das acima descritas 27 entidades levanta preocupações suficientes e que a revisão a priori, através da imposição de requisitos de licença para exportação, reexportação, ou transferências (dentro do país) de todos os itens sujeitos ao ERC envolvendo estas 27 entidades, é apropriada”, indica o documento.

O ERC também acrescentou que a possível negação de licenças, ou imposição de condições de licença a transporte para estas entidades protegerá a segurança nacional dos EUA e interesses de política externa.

*Com informações da Agência Sputnik Brasil.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 115060 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.