Senado aprova criação de memorial em homenagem às vítimas da covid-19; Brasil é o segundo do mundo com mais mortes devido à doença

Projeto de autoria de Renan Calheiros prevê a construção de um monumento no espelho d'água do Congresso, com 27 pedras, cada uma representando a dor pela perda das vítimas em cada um dos 26 estados e no Distrito Federal.
Projeto de autoria de Renan Calheiros prevê a construção de um monumento no espelho d'água do Congresso, com 27 pedras, cada uma representando a dor pela perda das vítimas em cada um dos 26 estados e no Distrito Federal.

O Senado aprovou nesta terça-feira (05/10/2021) a criação de um memorial em homenagem às vítimas da covid-19 no Brasil. O país é o segundo do mundo com mais mortes devido à doença e registra oficialmente 598.829 óbitos.

O projeto estabelece a construção de um monumento no espelho d’água do Congresso Nacional, em Brasília, que seja facilmente visto pelos cidadãos. Serão instaladas 27 pedras, representando a dor pela perda das vítimas em cada um dos 26 estados e no Distrito Federal.

De autoria do senador Renan Calheiros (MDB-AL) e com relatoria de Omar Aziz (PSD-AM), o projeto segue agora para promulgação. Aziz é o presidente e Renan, o relator da CPI da Pandemia, que apura a conduta do governo frente à crise sanitária provocada pelo coronavírus.

De acordo com Calheiros, muitos dos óbitos decorrentes da covid-19 poderiam ter sido evitados caso o Poder Público tivesse simplesmente agido em consonância com as recomendações científicas. Por essa razão, ele defende a necessidade de o Senado contribuir para que as vítimas da pandemia sejam sempre lembradas e homenageadas.

Registro histórico

Segundo Aziz, o memorial terá como principal função fazer um registro histórico do que aconteceu no Brasil desde o início da pandemia, em março de 2020, até os dias atuais.

“No Memorial em Homenagem às Vítimas da Covid-19 no Brasil, além de homenagear as vítimas e seus familiares, o Senado também manterá gravados os percalços de uma das tragédias mais graves da história de nosso país, que assolou o nosso povo de maneira tão dramática”, disse Aziz.

A homenagem foi endossada pelo senador Fabiano Contarato (Rede-ES), um dos mais atuantes na CPI.

“Foi violado o principal bem jurídico, que é a vida humana, são 600 mil famílias enlutadas, eu perdi uma cunhada, o poder público tem que cumprir a sua função social, ter empatia e se colocar na dor do outro”, afirmou Contarato.

*Com informações do DW.

Sobre Carlos Augusto 9707 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).