Indicado ao Grammy Latino, Luiz Caldas lança novo álbum

Capa do álbum de Luiz Caldas intitulado OMI.
Capa do álbum de Luiz Caldas intitulado OMI.

Nesta sexta-feira (01/09/2021), o cantor e compositor baiano Luiz Caldas lança o disco Omi ainda imerso na sensação boa de quem acabou de ter sido indicado ao Grammy Latino 2021. O seu álbum Sambadeiras, lançado no último mês de abril, está entre os selecionados da categoria Melhor Álbum de Música de Raízes em Língua Portuguesa. “Fiquei sabendo pelo storie de um fã no Instagram e fiquei feliz demais. Todo mês eu lanço um álbum e, mais cedo ou mais tarde, isso viria a acontecer. Estou realmente muito alegre com o reconhecimento a essa obra”

Omi é água em iorubá e, sem intenção, o novo disco dialoga com o momento, já que a água é um elemento ligado às emoções para religiões como o Candomblé. E vem também da África a inspiração sonora de Omi, uma vez que suas canções trazem as batidas dançantes de ritmos africanos para embalar letras que lembram do quanto essencial é a água para a sobrevivência e a prosperidade do Homem.

Na faixa que dá nome ao álbum, Luiz canta: “Na lata eu fui buscar, morrendo de calor/ Quando ia refrescar, a água derramou /Sem ter como voltar, sentindo aquela dor/ Vontade de chorar, o olho marejou/ Bateu um desespero/ Sem água não tem vida / Não tem chão não tem comida/ Não tem banho nem luar / Não tem casa /Não tem luz não tem guarida /Não tem coisa parecida /Com a secura de um lugar.

Dentre as parcerias presentes em Omi, destaque para Tambor na Alma, que Luiz Caldas compôs junto com Paulinho Boca de Cantor. Ao lado de César Rasec, também nasceu Mudar de Cor, última canção do disco, que é o 116º do projeto de lançamentos mensais do artista.

Sambadeiras

O Samba de Roda do Recôncavo Baiano, reconhecido pela Unesco como Patrimônio Cutural Imaterial da Humanidade, ganhou uma imersão do artista Luiz Caldas no álbum “Sambadeiras”, que traz dez canções que o músico dedica aos artistas da região, em especial ao cantor, compositor, violonista e grande conhecedor da cultura popular da Bahia, Roberto Mendes.

Além de dançantes, as canções transportam o ouvinte para a aura de humor e poesia das manifestações populares que fazem do Recôncavo Baiano uma região tão peculiar. As letras revisitam a alegria dos rituais festivos das sambadeiras: “Depois da embigada pro samba, ela fica dengosa / E quando faz o miudinho, ela fica muito mais formosa / O samba é a sua alegria, linda ela entra na roda/ Sambando com seu jeitinho, parece uma boneca, tão graciosa”.

Sambadeiras está disponível no site de Luiz Caldas (www.luizcaldas.com.br) e nas principais plataformas de streaming.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 114899 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.