Salvador: Comandantes da Forças Armadas estimulam militares a doar sangue ao Hemoba

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Almirante Almir Garnier, comandante da Marinha do Brasil, e o vice-almirante Humberto Caldas, comandante do 2° DN, incentivam militares a participar da campanha de doação de sangue, como mais uma forma de servir a comunidade civil.
Almirante Almir Garnier, comandante da Marinha do Brasil, e o vice-almirante Humberto Caldas, comandante do 2° DN, incentivam militares a participar da campanha de doação de sangue, como mais uma forma de servir a comunidade civil.

Militares da Marinha, Exército e Aeronáutica realizaram nesta quarta-feira (11/08/2021) doação voluntária de sangue. Cerca de 800 membros das Forças Armadas participaram da ação, que objetivou ampliar o estoque da Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (HEMOBA), em Salvador.

A Marinha revelou que, desde o início da pandemia, essa foi a 16ª participação de militares em ações deste tipo e que em razão da crise sanitária da covid-19, o indicador de doação nacional de sangue apresentou queda de mais de 10%. Os dados são comparados com 2019, que totalizou 3,27 milhões de doações, contra as 2,95 milhões registradas em 2020, informa o Ministério da Saúde.

Comandantes estimulam 

O almirante Almir Garnier, comandante da Marinha do Brasil, e o vice-almirante Humberto Caldas, comandante do 2º Distrito Naval (2º DN) participaram da campanha, incentivando os membros da armada a contribuir com a saúde da comunidade civil.

Doação segura

A doação de sangue é segura, não traz risco ao doador, é feita em menos de uma hora. O interessado doa 450 ml de sangue que são repostos pelo organismo em 24 horas.  Essa quantidade faz uma diferença na vida de até quatro pessoas necessitadas, informa o Hemoba nas campanhas.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 10107 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).