#PortugalDenunciaBolsonaroGenocida: Entidades sociais e cidadãos de Portugal assinam manifesto

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Manifesto ‘#PortugalDenunciaBolsonaroGenocida’ tem assinatura de membros da população e entidades de Portugal. “Aliamo-nos aos protestos realizados em todo Brasil e em dezenas de cidades do mundo, clamando pelo apoio internacional pelo fim do genocídio e ecocídio em curso no Brasil”, diz o protesto.
Manifesto ‘#PortugalDenunciaBolsonaroGenocida’ tem assinatura de membros da população e entidades de Portugal. “Aliamo-nos aos protestos realizados em todo Brasil e em dezenas de cidades do mundo, clamando pelo apoio internacional pelo fim do genocídio e ecocídio em curso no Brasil”, diz o protesto.

Nós, abaixo assinados, manifestamos nossa solidariedade ao povo brasileiro e extrema preocupação com o projeto de destruição nacional realizado pelo Governo de Jair Bolsonaro. A gestão da pandemia de covid-19, responsável por mais de meio milhão de pessoas mortas no Brasil, é a face mais visível de um trágico empreendimento que inclui a destruição de ecossistemas e a venda de patrimônio nacional, o desejo de aniquilação de culturas e povos originários, ataques aos direitos humanos, às populações indígenas e quilombolas, a criminalização de ativistas e de movimentos sociais, além da perseguição aos grupos mais oprimidos, como as mulheres e a população LGBTQI+.

Desde o início da pandemia, a política negacionista do Governo Bolsonaro demonstrou o desprezo do Presidente e de seus apoiadores para com a gravidade da situação e pela dor de quem chora a perda dos seus. Discursos minimizando os efeitos do vírus (“é uma gripezinha”), incitando o ajuntamento de pessoas, desprezando o uso das máscaras, travando uma luta política com os que defendiam ações fundamentadas em informações científicas contra a pandemia, são publicamente conhecidos. Soma-se a isso o gasto público na promoção de remédios ineficazes e da recusa sistemática para compra de vacinas. É evidente o projeto genocida do Governo Bolsonaro, presente não só em suas declarações, mas também na adoção de medidas que facilitaram a propagação do vírus, em completa desconsideração para com a vida de milhares de brasileiros e brasileiras.

Os números são alarmantes. A fome avança e a insegurança alimentar já atinge mais da metade dos lares brasileiros. Os fracassos na condução da política econômica são uma evidência com aumento do custo de vida e desemprego. As pessoas pobres e negras são as mais atingidas. A desconstrução violenta das políticas de proteção ambiental tem levado o país a um verdadeiro ecocídio e envolve riscos concretos à vida de quem se opõe. O Governo de Bolsonaro é denunciado internacionalmente por descumprir convenções internacionais de que o Brasil é signatário, bem como é visível o desacato à Constituição brasileira. As notícias mais recentes revelam tentativas de superfaturamento na compra de vacinas, num quadro de grande atraso no processo de imunização.

Por isso, aliamo-nos aos protestos realizados em todo Brasil e em dezenas de cidades do mundo, clamando pelo apoio internacional pelo fim do genocídio e ecocídio em curso no Brasil.

O abaixo-assinado foi proposto aos signatários pela rede #PortugalDenunciaBolsonaroGenocida

  • Casa do Brasil de Lisboa,
  • Coletiva Maria Felipa,
  • Coletivo Alvorada Aveiro,
  • Coletivo Andorinha – Frente Democrática Brasileira de Lisboa,
  • Solidariedade Brasileira (Porto),
  • Vozes no Mundo – Frente pela Democracia no Brasil (Coimbra)

Signatários individuais

  • Adriana Grechi, Coreógrafa, produtora cultural
  • Alexandra Lucas Coelho, Escritora
  • Álvaro Garrido, Professor universitário, Universidade de Coimbra
  • Amaury Cacciacarro, Produtor cultural
  • Ana Estevens, Geógrafa
  • Ana Paula Tavares, Escritora
  • Antónia Pedroso de Lima, Antropóloga, ISCTE-IUL/CRIA
  • António Costa Pinto, Professor universitário e comentarista político
  • António Ferreira, Cineasta
  • António Filipe, Partido Comunista Português; vice-presidente da Assembleia da República
  • Beatriz Gomes Dias, Professora, Deputada do Bloco Esquerda
  • Bianca Castro, Estudante e activista por Justiça Climática
  • Boaventura de Sousa Santos, Professor Catedrático Jubilado da Universidade de Coimbra; Director Emérito do Centro de Estudos Sociais
  • Carolina Dias, Produtora e realizadora audiovisual
  • Catarina Martins, Deputada e coordenadora nacional do Bloco de Esquerda
  • Cleia Almeida, Actriz
  • Cristiana Bastos, Investigadora, Universidade de Lisboa
  • Cristina Roldão, Professora da ESE-IPS e investigadora do CIES-ISCTE
  • David Serrão, Arquitecto
  • Diana Andringa, Documentarista e ex-presidente do Sindicato de Jornalistas
  • Diana Diegues, (A)MAR pela Diversidade – São Miguel, Açores
  • Eduardo Barroco de Melo, Deputado do Partido Socialista
  • Evalina Gomes Dias, Activista
  • Fernando Nogueira, Professor e director do Mestrado em Planeamento Regional e Urbano, Universidade de Aveiro
  • Fernando Rosas, Professor universitário.
  • Francisco Louçã, Professor universitário
  • Gisela Casimiro, Escritora e artista
  • Hans Eickhoff, Médico e activista
  • Hélder Mateus da Costa, Dramaturgo, encenador, director grupo de Teatro A Barraca
  • Ilda Figueiredo, Presidente da Direcção Nacional do Conselho Português para a Paz e Cooperação
  • Isabel Araújo Branco, Professora universitária e investigadora
  • Isabel Moreira, Deputada do Partido Socialista
  • Ivo Canelas, Actor
  • Janita Salomé, Cantor e compositor
  • Joacine Katar Moreira, Deputada e historiadora
  • Joana de Verona, Actriz e realizadora
  • Joana Moreira, Psicóloga
  • Joana Mortágua, Deputada do Bloco de Esquerda
  • João Baía, Sociólogo
  • João Fiadeiro, Coreógrafo, curador e investigador
  • João Luís Lisboa, Professor universitário
  • João Pina-Cabral, Antropólogo, ICS/UL
  • José Barahona, Realizador
  • José Carlos Mota, Professor Universidade de Aveiro
  • José Falcão, Dirigente SOS Racismo
  • José Filipe Costa, Realizador
  • José Manuel Pureza, Professor universitário e deputado
  • José Soeiro, Sociólogo e deputado
  • José Zaluar Basílio, Professor universitário
  • Luca Argel, Músico
  • Luís Mendes, Geógrafo, CEG/IGOT-ULisboa
  • Luísa Tiago Oliveira, Historiadora, ISCTE
  • Mamadou Ba, Dirigente do SOS Racismo Portugal
  • Manuel Carvalho da Silva, Sociólogo; ex-secretário-geral da CGTP-IN
  • Manuel Pinto, Pesquisador da Universidade do Minho
  • Márcio Laranjeira, Director criativo
  • Maria Inácia Rezola, Historiadora
  • Mário Nuno Neves, Cidadão
  • Miguel Vale de Almeida, Antropólogo, ISCTE-IUL/CRIA
  • Nelson Peralta, Deputado da Assembleia da República pelo BE
  • Nuno Domingos, Antropólogo
  • Paula Godinho, Antropóloga e professora universitária
  • Paulo Mota, Actor
  • Paulo Raposo, Antropólogo e professor universitário
  • Pável Calado, Professor universitário, Universidade de Lisboa
  • Pedro Castro, Produtor musical e artista
  • Pilar del Río, Jornalista
  • Sandra Monteiro, Jornalista
  • Sara David Lopes, Programadora, directora do festival Olhares do Mediterrâneo – Women’s Film Festival
  • Sérgio Campos Matos, Professor universitário
  • Sérgio Dias Branco, Professor da Universidade de Coimbra
  • Sérgio Godinho, Cantor e compositor
  • Sérgio Tréfaut, Cineasta
  • Susana de Matos Viegas, Antropóloga, ICS-ULisboa
  • Susana de Sousa Dias, Realizadora
  • Tathiani Sacilotto, Produtora de cinema
  • Tiago Mota Saraiva, Arquitecto e urbanista
  • Vitorino Salomé, Cantor e compositor

Organizações e Coletivos

  • Academia Cidadã
  • A Coletiva – Coletivo Feminista
  • AIM – Alternative International Movement / secção portuguesa
  • ALCC – Associação Lusofonia Cidadania e Cultura Alquimia Nómada
  • (A)MAR pela Diversidade – São Miguel Açores
  • APPA – Associação do Património e População de Alfama
  • As Cores dos Açores
  • Associação Clube Safo
  • Associação José Afonso
  • Associação LGBTI ViseuAssociação Mulheres na Arquitectura
  • Associação Plano I para a Igualdade e Inclusão
  • Brasileiras Não Se Calam
  • BR Cidades em Portugal
  • Campanha ATERRA
  • Colombina Clandestina
  • Coletivo Afreketê
  • Coletivo Xis
  • Cooperativa Trabalhar com os 99%Devagar Associação Cultural
  • Djass – Associação de Afrodescendentes
  • Feminismo Sob Rodas – Coletivo Feminista
  • Greve Climática Estudantil
  • IPA – Associação para a Promoção da Igualdade
  • Movimento Antifascista do Porto
  • Movimento Morar em Lisboa
  • Núcleo Antifascista de Aveiro
  • Núcleo do PT Lisboa
  • Plataforma GeniPlataforma Já Marchavas
  • Pride Azores
  • Queer As Fuck
  • QueerIST
  • Queer Tropical – Associação de Apoio à Comunidade LGBTQI+ Brasileira em Portugal
  • SOS RAcismo
  • Transborda – Mostra Internacional de Artes Performativas de Almada
  • UAP – União Antifascista Portuguesa
  • ULCC – União Lisboeta Carnaval e Cultura
  • Vizinhos de Arroios

Publicado no Jornal Público de Portugal, em 28 de julho de 2021

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 122944 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.