Cerimônia encerra Jogos Olímpicos de Tóquio

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos de Tóquio.
Cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Os Jogos Olímpicos de Tóquio terminaram neste domingo (08/08/2021) celebrando a união entre os povos, em uma cerimônia sem público e com a presença de poucos atletas no Estádio Olímpico, devido à pandemia de covid-19.

Realizado em meio a incertezas e sob forte desconfiança e oposição da maior parte dos japoneses, o evento esportivo quis ser uma mostra de que a humanidade, unida, pode vencer o coronavírus.

Após 17 dias, a avaliação do Comitê Olímpico Internacional (COI) e da comissão organizadora Tóquio 2020 é que a missão foi cumprida com êxito, com pouquíssimos casos de covid-19 entre os envolvidos no evento.

“Vocês, os japoneses, podem estar extremamente orgulhosos do que conquistaram. Em nome dos atletas, dizemos: ‘Obrigado, Tóquio. Obrigado, Japão”, proclamou Thomas Bach, presidente do COI na cerimônia.

Tóquio 2020 entra para história como uma edição democrática dos Jogos, com 93 países diferentes conquistando ao menos uma medalha, o que representa um recorde. A melhor marca era de Pequim 2008, com 87 delegações representadas no pódio ao menos uma vez. Além disso, no Japão, 64 nações obtiveram ao menos um ouro, cinco a mais que no Rio 2016, que detinha o recorde nesse quesito.

O Brasil fez a melhor campanha da história em Jogos Olímpicos e terminou na 12ª posição no quadro de medalhas, com 21 pódios.

A chama Olímpica foi apagada neste domingo e começou a contagem regressiva para Paris, em 2024 – faltam exatamente 1.083 dias.

Cerimônia econômica

Intitulada O mundo que compartilhamos, com gastos reduzidos e a participação de poucas pessoas devido à pandemia de covid-19, a cerimônia de encerramento não chegou a impressionar, mas rendeu bons momentos. Um deles foi quando os atletas presentes acenderam as luzes de seus celulares para lembrar todos os que não puderam estar na cerimônia. Em uma animação 3D, essas luzes se multiplicaram, sobrevoaram o estádio e formaram os arcos olímpicos.

Os japoneses também homenagearam a nova sede, Paris, com La vie en rose e outras músicas do folclore francês.

A cerimônia também quis mostrar um lado descontraído de Tóquio, que os atletas pouco puderam conhecer, já que podiam se deslocar apenas da Vila Olímpica ou de seus hotéis para os locais de treinamento e competições.

Em uma das apresentações, muitos estilos diferentes se mesclaram para dar a ideia de como é um característico dia de sol em um parque de Tóquio.

O Japão tradicional foi representado com o tambor taiko e por uma sequência de danças de quatro regiões diferentes que são passadas de geração em geração. Também houve referência aos tradicionais odoris, festivais de verão japoneses.

A escolha do porta-bandeira do país anfitrião também esteve envolta de significado. Kiyuna Ryo, medalhista de ouro na modalidade kata do karatê, conduziu a bandeira. Ele nasceu na ilha de Okinawa, o berço do karatê. O esporte estreou em Jogos Olímpicos em Tóquio, mas não deve continuar entre as modalidades em Paris 2024.

Rebeca Andrade, a porta-bandeira brasileira

A porta-bandeira brasileira foi Rebeca Andrade, que conquistou a primeira medalha do Brasil da história na ginastica artística feminina, com a prata no individual geral, e o ouro no salto, tornando-se a primeira mulher brasileira a conquistar duas medalhas na mesma edição dos Jogos Olímpicos.

“Foi uma sensação maravilhosa, uma emoção enorme. É difícil até descrever o que estou sentindo. Fui escolhida para ser a porta-bandeira, mesmo diante de tantos atletas maravilhosos e incríveis. Estou muito feliz e honrada. Hoje está sendo um dos melhores dias de toda a minha vida”, afirmou a atleta.

*Com informações do DW.

Comissão de atletas do Brasil participa da cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos de Tóquio.
Comissão de atletas do Brasil participa da cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos de Tóquio.
Quadro de medalhas dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Evento teve recorde de 33 competições e 339 eventos, realizados em 42 locais do Japão.
Quadro de medalhas dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Evento teve recorde de 33 competições e 339 eventos, realizados em 42 locais do Japão.
Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 123318 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.