Centro Gemológico da Bahia reabre ao público; Sede passa a funcionar no Pelourinho em Salvador; Bahia possui segunda maior reserva do país

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Centro Gemológico da Bahia funciona no Pelourinho em Salvador. A Bahia possui a segunda maior reserva de gemas do país, é o quarto maior produtor de ouro, o segundo de esmeraldas e o principal produtor de quartzo rutilado. 
Centro Gemológico da Bahia funciona no Pelourinho em Salvador. A Bahia possui a segunda maior reserva de gemas do país, é o quarto maior produtor de ouro, o segundo de esmeraldas e o principal produtor de quartzo rutilado. 

Após um período de reformas, o Centro Gemológico da Bahia (CGB) volta a atender o público, a partir desta segunda-feira (09/08/2021) desta vez em nova sede, na Rua Gregório de Mattos, 27, Pelourinho. O espaço é um centro de avaliação, pesquisa, difusão e valorização das gemas e joias da Bahia.

No evento de inauguração foi assinado um acordo de cooperação técnica com as Cooperativas: Mineral da Bahia e dos Garimpeiros de Novo Horizonte para implantação da mina modelo, que ficará no primeiro andar da nova sede.

No novo endereço ocorrerão cursos de formação e aperfeiçoamento profissional, em parceria com o SENAI, nas áreas Joalheria, Lapidação, Cravação, Gemologia, Artesanato Mineral, Design de Joias com Rhinoceros, Fundição e Modelamento/Prototipagem 3D e Gestão e Linha de Montagem para Joalheria. Na oportunidade foram entregues certificados aos alunos que fizeram os cursos de Joalheria e Lapidação.

“O Centro Gemológico está de casa nova e eu tive o prazer de assinar o termo de autorização de uso da nova sede, que fica no Pelourinho. O órgão ganha mais espaço, visibilidade e novos cursos. O centro é um importante instrumento para o estado, que é reconhecido como um dos maiores produtores brasileiros de gemas e metais preciosos, pois é daqui que saem muitos profissionais formados em joalheria”, declara o vice-governador João Leão, secretário do Planejamento.

Para acompanhar a evolução da gemologia mundial, o Laboratório de Análises Certificação de Gemas do CGB, único do norte e nordeste a integrar a Rede do Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Precisos (Rede IBGM) e a ter suas certificações e pereceres reconhecidos internacionalmente, adquiriu novos e modernos equipamentos. Com o testador de diamante e moissanita, um microscópio gemológico com máquina fotográfica acoplável e um espectrômetro Raman, os profissionais vão realizar com mais precisão e agilidade serviços de análise de minerais, caracterização de metais e ligas de metais preciosos. E também correta identificação das gemas, comprovação de tratamentos aplicados a elas, e detecção de substâncias sintéticas e artificiais.

“Além de possuir o laboratório reconhecido internacionalmente, o Centro Gemológico vai continuar seu trabalho de capacitar novos profissionais para atender um mercado em expansão, com demanda em alta de cada vez mais formação e modernização”, afirmou o secretário do Desenvolvimento Econômico, Nelson Leal.

De acordo com a diretora do CGB, Mônica Correa, o maior espaço da nova sede vai permitir aumentar as atividades do Centro. “Antes oferecíamos dois cursos, agora serão oito, e temos um espaço para exposições e teremos também condições de recebermos alunos de escolas para visitação”, detalhou a diretora.

Histórico  

O CGB foi inaugurado em dezembro de 1995, através de convênio firmado entre a então Secretaria de Indústria, Comércio e Mineração (SICM) e a Associação Baiana dos Produtores e Comerciantes de Gemas, Jóias, Metais Preciosos e Afins (PROGEMAS).  A partir de setembro de 2004 sua estrutura, coordenação e manutenção passaram  totalmente para a SICM, por meio da Diretoria de Mineração. Em 2015, a SICM foi extinta, e a sua estrutura, coordenação e manutenção passaram para a Secretaria de Desenvolvimento Econômico – SDE, por meio da Coordenação de Mineração.

“Estou admirado com o espaço espetacular e que vai poder servir muito mais do que servimos ano passado. Nós temos um comércio de jóias internacional muito grande, joia é um negócio que corre mundo então com certeza isso aqui vai dar uma projeção e vai facilitar a exportação das nossas pedras”, disse o fundador do Centro, Ruy Fonseca.

Na Bahia, a garantia de autenticidade de pedras preciosas é certificada pelo Centro Gemológico da Bahia. Contando com um laboratório gemológico e equipamentos de precisão, o CGB emite laudos, pareceres e certificados de autenticidade das gemas.

O Laboratório Gemológico do CGB é o único do Norte-Nordeste que faz parte da Rede IBGM de Laboratórios Gemológicos. Os documentos emitidos pelo Centro Gemológico são reconhecidos internacionalmente, pois a instituição é integrante da Rede IBGM que é credenciada pela CIBJO – Confédération International de la Bijouterie, Joaillerie, Orfèvrierie des Diamantes, Perles et Pierres – , entidade internacional reguladora do segmento joalheiro no mundo.

O Centro também promove cursos de formação e aperfeiçoamento profissional, além de manter programas permanentes para o desenvolvimento do setor de gemas e joias e ações de interação com as escolas e a comunidade, visando popularizar, divulgar e despertar aptidões na arte joalheira e afins.

Agenda

Centro Gemológico Da Bahia

Rua Gregório De Mattos, 27, Pelourinho | Salvador

Visitação: Segunda a Sexta, Das 9h às 17h.

Entrada Gratuita

Telefone: 3326-1747

Banner do Governo da Bahia: Campanha 'Aqui é trabalho', veiculada nesta sexta-feira (04/11/2021).
Sobre Carlos Augusto 9717 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).