Enchentes prendem centenas em metrô e matam 12 na China

É uma chuva que se vê uma vez em cem anos. A situação é sombria, disse o centro de controle de inundações de Zhengzhou. Chuvas recordes assolam a metrópole de Zhengzhou. Mais de 500 pessoas são resgatadas de vagões e túneis do metrô alagados, e 200 mil são obrigadas a deixar suas casas. "A situação é extremamente grave", diz presidente.
É uma chuva que se vê uma vez em cem anos. A situação é sombria, disse o centro de controle de inundações de Zhengzhou. Chuvas recordes assolam a metrópole de Zhengzhou. Mais de 500 pessoas são resgatadas de vagões e túneis do metrô alagados, e 200 mil são obrigadas a deixar suas casas. "A situação é extremamente grave", diz presidente.

Chuvas recordes e inundações deixaram ao menos 12 mortos na metrópole de Zhengzhou, capital da província de Henan, no centro da China, informou nesta quarta-feira (21/07/2021) a agência de notícias estatal Xinhua.

As enchentes transformaram ruas em rios e inundaram o metrô da cidade, deixando centenas de pessoas presas em trens e nos túneis. Mais de 500 teriam sido resgatadas.

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram uma estação transformada numa gigante piscina e passageiros dentro de um vagão com a água na altura do peito. Socorristas tiveram que romper o teto do trem para salvar as pessoas, segundo a mídia local.

Outras imagens mostram pedestres sendo resgatados em meio à correnteza em ruas da cidade às margens do rio Amarelo.

Uma barragem se rompeu, e cerca de 200 mil moradores da metrópole de 10 milhões de habitantes tiveram que deixar suas casas. As chuvas também deixaram vários edifícios residenciais sem água e eletricidade, além de paralisar o transporte público e forçar o cancelamento de centenas de voos, rotas de ônibus e trens.

Hospitais e escolas ficaram ilhados, com crianças impedidas de voltar para casa desde terça. Moradores afetados pelas enchentes se abrigaram em bibliotecas, cinemas e museus.

As autoridades emitiram o mais elevado nível de alerta para a província de Henan, que continua sendo assolada por chuvas. A previsão é que as precipitações continuem pelos próximos três dias. Outras cidades da província também foram alagadas.

Chuva de um ano em três dias

Segundo as autoridades, as chuvas na região foram as mais intensas desde que tiveram início os registros, há 60 anos. Em Zhengzhou, choveu em apenas três dias o equivalente à média de precipitação em um ano. As chuvas foram causadas pelo tufão In-Fa.

“Esta é uma chuva que se vê uma vez em cem anos. A situação é sombria”, afirmou o centro de controle de inundações de Zhengzhou. Já a mídia local citou meteorologistas que teriam dito se tratar de um nível de precipitação visto uma vez a cada mil anos.

Soldados foram acionados para reforçar com sacos de areia o leito de um rio próximo à barragem que se rompeu. Também foram emitidos alertas sobre o possível rompimento de outras barragens.

O presidente chinês, Xi Jinping, descreveu a situação como extremamente grave. “Já entramos num estágio crítico de controle de enchentes”, afirmou.

Inundações anuais durante a estação chuvosa costumam afetar ruas, plantações e residências na China. Mas a ameaça aumentou ao longo das décadas, em parte devido à construção de barragens e diques que interromperam as conexões entre o rio Amarelo, o segundo mais longo da China, e lagos adjacentes.

*Com informações do DW.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 110959 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]