Colégio estadual de Feira de Santana promove diálogo sobre diversidade cultural entre estudantes baianos e estrangeiros

Kelly Velasquez, aluna do Colégio Edith Machado Boaventura.
Kelly Velasquez, aluna do Colégio Edith Machado Boaventura.

O Colégio Edith Machado Boaventura, em Feira de Santana, inicia, neste sábado (17/07/2021), a terceira edição do projeto Encontro Intercultural, uma iniciativa interdisciplinar que propõe ajudar os estudantes a desenvolverem uma comunicação sem fronteiras, usando a diversidade linguística para uma compreensão de mundo com menos preconceitos e estereótipos sobre as novas culturas. Neste ano, o projeto desenvolvido pelo professor de Língua Inglesa, João Luiz Costa, em parceria com a Secretaria da Educação da Bahia, será transmitido no YouTube, nos dias 17/07, às 9h; 23/07, às 13h; e no dia 24/07, às 9h.

Os estudantes vêm realizando pesquisas sobre os países quanto aos aspectos históricos, religiosos, geográficos e econômicos. Após a fase das pesquisas, eles vão debater, nos encontros, a diversidade cultural e como a juventude vem enfrentando a pandemia em outros países. O debate foi dividido em três momentos, tendo seis estrangeiros de países diferentes em cada reunião. Os participantes poderão assistir à transmissão ao vivo e esclarecer dúvidas com os convidados através do chat, que serão respondidas pelos estrangeiros, durante o evento. Participarão representantes da Holanda, Estados Unidos, Irlanda, Arábia Saudita, Porto Rico, Alemanha, Egito, Argentina, Canadá, Inglaterra, Líbano, Índia, Gana, Guiana, México e Nigéria.

A estudante colombiana Kelly Dayana Lugo Velasquez, tem 12 anos e está matriculada no Colégio Edith Machado Boaventura, cursando o 7º ano. Para ela, o projeto já está ampliando o conhecimento na Língua Portuguesa e facilitou o contato com os novos colegas e o ambiente escolar. “É muito bom porque vai ajudar meus colegas a aprenderem novos assuntos e todos terão a oportunidade de falar uma outra língua. Me sinto acolhida na escola, já tenho amigas na sala, todos me acolheram bem e o projeto facilitou o contato”, conta.

De acordo com o professor João Luiz Costa, o objetivo central  do evento é ajudar os estudantes a desenvolverem competências interculturais. “Precisamos expandir a visão de mundo e compreender o Inglês como língua franca, isto é, a língua que um grupo multilíngue intencionalmente adota para que todos consigam se comunicar. Ao participar desse encontro, os jovens são ajudados a compreender outras culturas, cultivando o respeito e a empatia, qualidades essenciais para a construção de um mundo mais justo e pacífico”.

A diretora da unidade de ensino, Rosiene Figueredo Rodrigues, disse que o projeto já é uma tradição para a comunidade escolar e que os benefícios da experiência transcendem as atividades curriculares ”Esperamos que essa experiência possa contribuir para a formação cidadã e humana, não só de nossos estudantes, como de todos os jovens que irão assistir ao evento. Os debates aumentam o repertório e a compreensão das culturas e dos costumes dos outros”.

Confira vídeo

https://bit.ly/36NBn2d

Sobre Carlos Augusto 9717 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).