Chanceler Angela Merkel promete ajuda rápida às regiões atingidas pelas enchentes na Alemanha

Angela Merkel em visita à cidade de Bad Münstereifel,Vimos pessoas que perderam tudo. Chanceler federal alemã visita cidade devastada pelas inundações no oeste do país, promete auxílio sem burocracias do governo federal e saúda solidariedade da população. "A destruição é tanta que nos deixa sem palavras.".
Angela Merkel em visita à cidade de Bad Münstereifel,Vimos pessoas que perderam tudo. Chanceler federal alemã visita cidade devastada pelas inundações no oeste do país, promete auxílio sem burocracias do governo federal e saúda solidariedade da população. "A destruição é tanta que nos deixa sem palavras.".

Dois dias após visitar um vilarejo destruído pelas enchentes no estado da Renânia-Palatinado, a chanceler federal da Alemanha, Angela Merkel, repetiu o gesto nesta terça-feira (20/07/2021) numa cidade da Renânia do Norte-Vestfália. Merkel viajou a Bad Münstereifel, uma cidade famosa por seu centro antigo com casas em enxaimel e que foi severamente afetada pelas inundações recentes.

“Para quem mora aqui, as condições estão em parte terríveis”, afirmou. “Vimos pessoas que perderam tudo. A destruição é tamanha que nos deixa sem palavras.”

Enquanto muitas casas deixaram de ser habitáveis, Merkel disse que a solidariedade demonstrada pela população serve de consolo pelo desastre. Ela agradeceu a todos os ajudantes, serviços de emergência e doadores.

Antes da visita à área afetada, a chanceler federal se reuniu com representantes de organizações humanitárias e conversou com alguns cidadãos de Bad Münstereifel. Ela reiterou sua promessa de ajuda rápida e sem burocracias por parte do governo federal. “Tudo será feito para que o dinheiro chegue às pessoas rapidamente”, disse. “Espero que isso seja questão de alguns dias.”

Merkel presumiu que a reconstrução da infraestrutura destruída, como estradas e ferrovias, assim como a reconstrução de parte da cidade, levará mais do que alguns meses. “É bastante evidente que vamos precisar de muita paciência”, salientou. “Não vamos esquecê-los rapidamente.”

A chefe de governo alemã passeou pelo centro histórico de Bad Münsterefiel acompanhada do governador da Renânia do Norte-Vestfália, Armin Laschet. Candidato a chanceler federal nas próximas eleições pela CDU, partido de Merkel, ele foi bastante criticado por dar risada durante um discurso do presidente da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, em outra região do estado devastada pelas enchentes.

Nesta terça-feira, Laschet prometeu que a ajuda imediata aos afetados chegará ainda nesta semana. Ele agradeceu que, apesar das férias de verão no hemisfério norte, o gabinete do governo federal “apresentará um resultado até amanhã para aprovar a ajuda emergencial inicial”. Segundo Laschet, o governo estadual da Renânia do Norte-Vestfália vai dobrar o montante no dia seguinte.

Os respectivos requerimentos serão simplificados e devem estar prontos nesta semana para que o repasse dos fundos possa ser iniciado “muito em breve”, prosseguiu Laschet. Muitas das pessoas que ele e Merkel encontraram em Bad Münstereifel demonstraram confiança, “mas disseram que não sabiam como iriam se virar nos próximos dias”, relatou o governador. “É por isso que [o repasse da ajuda] deve ser feito o mais rápido e com menos burocracia possível.”

Risco de aumento de casos de covid-19

Após as inundações e o desastre causado pelas águas, os estados da Renânia-Palatinado e Renânia do Norte-Vestfália estão agora expostos também ao risco de aumento de casos de covid-19, em meio à alocação de moradores em abrigos de emergência e a interação com diversas equipes de socorristas que vieram de várias partes do país.

“No momento, muitas pessoas estão presentes em espaços muito pequenos para lidar juntos com a crise. Agora temos que ter cuidado para que o gerenciamento da crise não se transforme numa eventual disseminação”, disse David Freichel, da equipe de comunicação sobre a covid-19 da Renânia-Palatinado. A Secretaria de Saúde do estado está preparando uma campanha especial de vacinação nas áreas afetadas pelas enchentes.

A preocupação é semelhante na Renânia do Norte-Vestfália. “Um risco maior de disseminação do Sars-Cov-2 pode se desenvolver principalmente por meio da acomodação de pessoas em abrigos de emergência”, publicou a rede de notícias Redaktionsnetzwerk Deutschland (RND), citando a Secretaria de Saúde do estado.

Em meio a tantas preocupações em torno do desastre, há um pequeno alívio: a barragem de Steinbach, localizada entre as cidades de Bad Münstereifel e Euskirchen, não corre mais o risco de romper, segundo autoridades locais. Moradores das redondezas puderam retornar às suas casas.

Chanceler federal da Alemanha, Angela Merkel, e o governador da Renânia do Norte-Vestfália, Armin Laschet, durante visita a Bad Münstereifel

Merkel e Laschet (esq.) prometeram reduzir a burocracia e acelerar o repasse de ajuda financeira do Estado

Procura por desaparecidos e danos bilionários

A última atualização do número de mortos – apresentada na noite de segunda-feira – apontou para pelo menos 164 óbitos: 117 na Renânia-Palatinado e 47 na Renânia do Norte-Vestfália. Em ambos os estados não está descartado que novas vítimas fatais possam ser encontradas. Os serviços de emergência seguem suas buscas por pessoas desaparecidas.

A polícia de Koblenz, uma das principais cidades na Renânia-Palatinado e localizada justamente no encontro dos rios Mosela e Reno, divulgou que diversos hotéis, restaurantes e acomodações estão sendo contactados para comparar as listas de hóspedes com os relatos de pessoas desaparecidas.

Para os sobreviventes das enchentes, a rotina diária segue limitada a retirar lama, entulho e materiais e equipamentos estragados de suas casas e das ruas.

Em muitos vilarejos, a infraestrutura – estradas, ferrovias, pontes, mastros de telefonia móvel, linhas de distribuição de eletricidade e de gás, assim como o abastecimento de água potável – está comprometida. O governo federal estima ao menos 2 bilhões de euros em danos apenas em estradas e ferrovias.

Tempestades e chuvas fortes provocaram inundações e deslizamentos de terra também na região de Berchtesgadener Land, na Baviera, no extremo sul da Alemanha. Algumas localidades da popular região turística em torno do Watzmann – a terceira maior montanha da Alemanha – e do lago Königssee foram devastadas. Nesta terça-feira, a situação melhorou na região, e as escolas e creches abriram novamente.

*Com informações do DW.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 110959 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]