Banco Central Europeu explica o que é o Euro Digital

Euro Digital (Criptoeuro) é lançado através de projeto-piloto do Banco Central Europeu.
Euro Digital (Criptoeuro) é lançado através de projeto-piloto do Banco Central Europeu.

O Banco Central Europeu (BCE) explica o conceito do Euro Digital (Criptoeuro) como um instrumento rápido, fácil e seguro para pagamentos diários.

O criptoativo foi lançado na quarta-feira (14/07/2021) através de projeto-piloto liderado pelo BCE, tem previsão de durar 2 anos, sendo necessários mais 3 anos para implantação total da criptomeoda europeia.

O BCE destaca que o Euro Digital não é um criptoativo, porque, diferente desta classe de ativos financeiros, tem como característica a estabilidade, além se ser assegurado o valor financeiro pela instituição e governos.

O Banco europeu informa, também, que ao fim da fase piloto, não é garantido que a instituição vá lançar a versão digital, em escala total, da criptomoeda.

Conceito do Euro Digital (Criptoeuro), segundo BCE

O nosso trabalho visa assegurar que, na era digital, os cidadãos e as empresas continuam a ter acesso à forma mais segura de moeda – a moeda do banco central.

A digitalização propagou‑se a todos os domínios das nossas vidas e transformou o modo como fazemos pagamentos.

Nesta nova era, um euro digital garantiria a continuação do acesso gratuito dos cidadãos da área do euro a um meio de pagamento simples, universalmente aceite, seguro e fiável.

Um euro digital continuaria a ser um euro, tal como as notas de euro, mas em formato digital. Seria uma forma eletrónica de moeda emitida pelo Eurosistema (o BCE e os bancos centrais nacionais) e acessível a todos os cidadãos e empresas.

Um euro digital complementaria o numerário, não o substituiria. O Eurosistema continuará a assegurar que tem acesso a numerário em toda a área do euro.

Um euro digital dar‑lhe‑ia uma opção de pagamento adicional e facilitaria a forma como paga, contribuindo para a acessibilidade e a inclusão.

Porquê um euro digital?

Um euro digital seria um instrumento rápido, fácil e seguro para os seus pagamentos diários.

Apoiaria a digitalização da economia europeia e fomentaria a inovação nos pagamentos de retalho.

O BCE e os bancos centrais nacionais da área do euro estão a analisar os riscos e os benefícios, com vista a que o euro continue a satisfazer adequadamente as necessidades dos europeus.

Que outros benefícios tem um euro digital?

Dialogaremos com o Parlamento Europeu e outros decisores de políticas a nível europeu, os quais informaremos regularmente sobre as nossas conclusões. Cidadãos, comerciantes e o setor dos pagamentos também participarão.”

Um euro digital combinaria a eficiência de um instrumento de pagamento digital com a segurança da moeda do banco central.

Ajudaria a lidar com situações em que as pessoas já não preferem dinheiro. Evitaria também a dependência de meios de pagamento digitais emitidos e controlados fora da área do euro, o que poderia comprometer a estabilidade financeira e a soberania monetária.

A proteção da privacidade seria uma prioridade importante, para um euro digital poder ajudar a manter a confiança nos pagamentos na era digital.

Quando estará disponível?

Em julho de 2021, decidimos lançar um projeto de euro digital. Tal não significa necessariamente que emitiremos um euro digital, mas que preparar-nos-emos para essa possibilidade.

O que se segue?

Iremos agora começar a estudar as possíveis características de um euro digital. Esta fase de estudo terá início em outubro de 2021 e durará cerca de dois anos.

Analisaremos como um euro digital poderia ser concebido e distribuído a comerciantes e cidadãos, bem como o impacto que teria no mercado e as alterações à legislação europeia, eventualmente necessárias.

Uma vez terminada a fase de estudo, decidiremos se daremos, ou não, início ao desenvolvimento de um euro digital. Seriam, depois, desenvolvidas e testadas possíveis soluções, em colaboração com instituições de crédito e empresas que poderiam disponibilizar a tecnologia e os serviços de pagamento.

O trabalho experimental efetuado até à data revelou que não existem grandes restrições tecnológicas à emissão de um euro digital e que são muitas as possíveis formas de concepção.

Quais poderão ser as suas características?

Especialistas do BCE e dos bancos centrais nacionais da área do euro estabeleceram uma série de requisitos básicos para um euro digital, tais como acesso fácil, solidez, segurança, eficiência, privacidade e cumprimento da lei. Estes requisitos ajudar‑nos‑ão a definir as eventuais características de um euro digital.

Um euro digital seria concebido de modo a funcionar em conjunto com soluções de pagamento privadas, facilitando a disponibilização de soluções pan‑europeias e serviços adicionais aos consumidores.

Será o BCE a gerir um euro digital?

O BCE é responsável pelo euro, quer sob a forma de notas de banco quer em formato digital, em nome dos cidadãos europeus.

Queremos garantir que o valor da nossa moeda é preservado e que um eventual euro digital é, em última instância, salvaguardado e regulamentado pelo banco central.

Por que razão um euro digital não seria um criptoativo?

Os criptoativos são fundamentalmente diferentes da moeda do banco central. Caracterizam‑se por preços voláteis, o que dificulta a sua utilização como meio de pagamento ou unidade de conta, e não têm o apoio de uma instituição pública.

Os utilizadores de um euro digital poderiam confiar nele tanto como no numerário, visto que ambas as formas de moeda teriam o apoio de um banco central.

Os pagamentos estão a mudar em aspetos fundamentais e os bancos centrais desempenham um papel essencial no processo.

Os pagamentos europeus têm de ser apoiados por um mercado competitivo e inovador, capaz de satisfazer as necessidades dos consumidores e, ao mesmo tempo, preservar a soberania europeia. Neste contexto, definimos uma estratégia de pagamentos abrangente para a era digital.

A nossa estratégia para os pagamentos de retalho

Um euro digital para a era digital

Um euro digital seria um símbolo digital de progresso e integração na Europa, afirmou Fabio Panetta, membro da Comissão Executiva do BCE, ao apresentar o relatório sobre um euro digital.

Desde a introdução do euro, o BCE é responsável pela preservação da confiança dos cidadãos na nossa moeda. A par do numerário, um euro digital seria acessível a todos e proporcionaria às pessoas mais opções de pagamento.

Leia +

https://www.ecb.europa.eu/paym/digital_euro/report/html/index.pt.html

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 115083 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.