Agência da ONU alerta para impactos de uma “pandemia de tráfico humano”

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Confinamento social e as fronteiras fechadas fazem com que as vítimas tenham menos chance de escapar dos traficantes.
Confinamento social e as fronteiras fechadas fazem com que as vítimas tenham menos chance de escapar dos traficantes.

Um novo estudo sobre o impacto da Covid-19 ressalta o aumento no número de vítimas de tráfico humano durante a pandemia especialmente na exploração de crianças.

O relatório do Escritório da ONU sobre Drogas e Crime, Unodc, avalia ainda como organizações respondem aos desafios causados pela pandemia e como elas fazem o atendimento a quem precisa apesar de todas as restrições e barreiras impostas desde o ano passado.

Justiça

Para a agência da ONU, a situação representa “uma pandemia de tráfico humano” com os criminosos se aproveitando da crise para alvejar as vítimas, adultos e crianças, que passaram a ficar mais tempo na internet.

Um outro fator são as perdas de renda e o desemprego gerado pela crise.

A diretora-executiva da agência afirma que com a pandemia, ficou mais difícil detectar o tráfico de pessoas e muitas vítimas não conseguem obter acesso à justiça.

O estudo ajuda ainda a legisladores e profissionais da justiça penal ao examinar estratégias para investigar e processar os criminosos em épocas de crise.

Exploração sexual de crianças

O chefe da Seção de Contrabando de Migrantes e Tráfico Humano do Unodc, Ilias Chatzis, lembrou que esses criminosos atuam em situações de vulnerabilidade enganando as vítimas com falsas promessas. E pessoas desesperadas tendem a acreditar nas mentiras.

O estudo revela que tem aumentado o número de crianças vítimas dos traficantes que usam as redes sociais e outras plataformas para recrutar os menores.

Com o aumento de materiais de exploração sexual de crianças, crescem os crimes contra elas.

Além disso, o confinamento social e as fronteiras fechadas fazem com que as vítimas tenham menos chance de escapar dos traficantes.

Bandidos

Os autores do relatório afirmam que mesmo com as dificuldades da pandemia, o crime de tráfico humano não diminuiu, uma vez que os bandidos se adaptam rapidamente à nova realidade.

Em vez de atuarem em locais públicos, eles passam as atividades para propriedades privadas e para a internet.

Em alguns países, policiais e investigadores dedicados a essa área foram transferidos para outros setores para ajudar a responder à pandemia.

Por isso, o Unodc defende que a estratégia de enfrentamento deve incluir atividades de combate ao tráfico humano que possam seguir sem interrupção em tempos de crise com o a de uma pandemia.

*Com informações da Agência Brasil.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 113670 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]