Adolescente está sentado do lado de fora de uma oficina mecânica onde trabalha, em uma área industrial em Erbil, na região do Curdistão no Iraque.

Adolescente está sentado do lado de fora de uma oficina mecânica onde trabalha, em uma área industrial em Erbil, na região do Curdistão no Iraque.

Adolescente está sentado do lado de fora de uma oficina mecânica onde trabalha, em uma área industrial em Erbil, na região do Curdistão no Iraque.

Em 24 de maio de 2016, um adolescente está sentado do lado de fora de uma oficina mecânica onde trabalha, em uma área industrial em Erbil, na região do Curdistão no Iraque.
A última pesquisa MICS, de 2011, indicou que seis por cento das crianças de 5 a 14 anos estão envolvidas no trabalho infantil no Iraque. No entanto, devido ao declínio econômico e ao aumento da vulnerabilidade dos cidadãos iraquianos desde o início do conflito em 2014 – incluindo 3,3 milhões de deslocados internos – o número provavelmente será muito maior.

O passado turbulento do Iraque nas últimas três décadas teve um impacto devastador no ambiente socioeconômico, na infraestrutura e no tecido social do país, afetando profundamente a vida dos cidadãos iraquianos comuns. A pobreza é uma realidade diária para cerca de um quarto da população. Uma proporção significativa da população, especialmente crianças, é altamente vulnerável à exploração e ao abuso, inclusive ao trabalho infantil.