Salvador: Xauim celebra Bahia e afoxé Badauê em novo álbum

Capa da álbum 'Flutuântico' do cantor Xauim.
Capa da álbum 'Flutuântico' do cantor Xauim.

O horizonte do maior oceano em extensão, que liga as Américas, África e Europa, é também o fio condutor de Flutuântico, álbum de estreia do cantor e compositor Xauim, disponível em todas as plataformas de streaming a partir da quinta-feira (03/06/2021). O disco reúne sete faixas que navegam por uma pluralidade rítmica e deságuam na Bahia – porto dessa viagem que, explica Xauim, tem como norte um mapeamento ancestral em plenitude.

A Bahia do afoxé Badauê, aqui representado pelo cantor e percussionista Jorjão Bafafé, único feat do disco. “[A Bahia é] um portal pelo qual eu acesso os outros. Uma interseção que eu percebo nessa diversidade de ritmos é essa ligação com a diáspora”.

A produção, assinada por Átila Santana e Aquahertz, é percussão e afro groove, mas também beat eletrônico. Flutuântico é a viagem que Xauim realiza por desejo perceptível no entoar da voz sobre cada batida.

 “Quando me aproximo um pouco da salsa, do reggae, de uma linha de blues, tem um fio condutor. Que é o Atlântico, que é essa jornada que desembocou nas Américas e deu no que deu”, acrescenta o músico, que, na faixa ‘Meu Caminho’, homenageia o protagonismo afro na figura de artistas como os conterrâneos Gilberto Gil e Carlinhos Brown.

Flutuântico

O álbum, cuja produção foi concluída em quatro meses, era algo que o baiano não pensava para 2021. “Estava produzindo uma música com Átila e outra com a Aquahertz, em paralelo. E aí me veio essa vontade de lançar algo mais encorpado. Mesmo produzindo com produtores distintos, eu estava vendo uma conexão nesses dois singles, uma ligadura entre as canções”.

“Todas as pessoas que participaram do álbum eu já admirava. Se me falassem, em 2018, 2019 até, que eu faria um álbum com participação de todos eles, eu não ia botar fé. Eu pude, ainda que à distância, somar, e reunir essas pessoas nesse projeto que é muito especial. É realmente um sonho ter essa ficha técnica”.

Flutuântico toma forma e vem a público quase um ano após o lançamento da faixa ”Pra Quem Quiser Ouvir”, primeiro single/clipe do projeto. O nome é a coalizão de ‘flutuante’ e ‘Atlântico’ porque, diz Xauim, precisava dar conta da confusão que é não enxergar, de maneira ampla, as próprias raízes. “Porque houve um corte. E, ao mesmo tempo, estamos alinhados pelo oceano. Poder ver esse mar que nos liga com o que foi cortado”.

Xauim

Não é a primeira vez que Xauim, persona do fotógrafo e videomaker Matheus Leite, toma para si a responsabilidade de refletir a diáspora. Como artista visual, foi o primeiro brasileiro a vencer o concurso Sony World Photography Awards, na categoria National Awards. No ensaio Afrocentrípeta, retrata o fenômeno da imigração forçada nas Américas, sobretudo no Brasil.

Na música, ocorreu de perceber na palavra xauim, que em tupi significa sagui, aquele macaquinho também conhecido por mico – a conexão que precisava. A referência veio da música Cantando em Tupi, faixa que integra o álbum, composta em 2011. “Pensei: ‘acho que esse é meu nome’. E ainda estou descobrindo as possibilidades que essa persona pode me dar em termos de caminho, de identidade, é um processo contínuo de descoberta e eu tô no comecinho dele”.

Enquanto xauim, o macaquinho, caminha por aí entre fios elétricos e galhas, Xauim se aventura no universo da música, mas também do audiovisual, a fim de jogar para o mundo a força que mais se aproxima de resumir as tantas formas de se expressar em vida: a arte.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 114912 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.