Prefeitura de Salvador adere ao gov.br para acelerar transformação digital

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Cartaz anuncia 10 passos para a transformação digital dos municípios.
Rede criada pelo governo federal para compartilhar plataformas do gov.br já tem a participação de 7 capitais e 13 Unidades Federativas, que buscam a digitalização de serviços públicos.

Salvador é a mais nova capital a fechar parceria com a Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia e aderir ao gov.br , que dispõe de uma rede para impulsionar e integrar as iniciativas por um governo 100% digital. Distrito Federal, 12 estados e 42 municípios já participam dessa ação, que visa acelerar a digitalização com foco no usuário dos serviços públicos.

O secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, Caio Paes de Andrade, destaca a importância das parcerias entre o governo federal e os demais entes federados para expandir a transformação digital no país, em uma atuação articulada e colaborativa. “A transformação digital é o caminho para reduzir a burocracia, melhorar o ambiente de negócios do país e facilitar a vida dos cidadãos brasileiros. A integração das ações do governo federal com estados e municípios é fundamental para ampliarmos a oferta de serviços digitais à população”, pontua.

Um dos eixos da Estratégia de Governo Digital 2020-2022 – o de Governo Integrado – prevê a integração de dados e serviços da União, estados, Distrito Federal e municípios. Com o gov.br, as experiências na transformação digital dos serviços públicos são compartilhadas – como, por exemplo, os acertos, as metodologias de trabalho e engajamento das equipes, ou as tecnologias disponíveis.

O prefeito de Salvador, Bruno Reis, destaca que, nos últimos anos, Salvador tem trabalhado na realização de ações no âmbito digital e, atualmente, desenvolve o Plano Diretor de Tecnologia e Inovação do município. “Essa adesão ao gov.br é um passo importante para tornar Salvador cada vez mais digital, com prestação eficiente e ágil dos serviços públicos e, assim, contribuir para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos”, afirma.

Ao aderirem ao gov.br , estados e munícipios assumem o compromisso de seguir as diretrizes do governo federal sobre a oferta dos serviços públicos digitais e a simplificação do atendimento prestado aos cidadãos, com foco na experiência do usuário. As experiências de transformação digital são debatidas e aperfeiçoadas de forma constante.

Redução de 97% no custo dos serviços

Para o secretário de Governo Digital do Ministério da Economia, Luis Felipe Monteiro, a articulação entre os entes federados favorece o compartilhamento de soluções integradas aos brasileiros, que já contam hoje com quase 70% dos 4,3 mil serviços do governo federal disponíveis de forma digital no gov.br. Monteiro aponta ainda que a eficiência digital se reflete na redução dos gastos públicos.

“O custo para o Estado de cada serviço digitalizado é reduzido em 97%, em média, em relação à forma presencial. A economia acumulada com os serviços federais transformados em digitais, somente desde janeiro de 2019, já é de R$ 2,2 bilhões por ano”, salienta.

Saiba mais

As 13 UFs que já participam da rede são: Amazonas, Amapá, Ceará, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, Roraima, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, além do Distrito Federal. Também já aderiram as seguintes capitais: João Pessoa, Recife, Belo Horizonte, Campo Grande, Porto Alegre e Teresina, além de Salvador.

Para orientar estados e municípios nas estratégias de digitalização de seus serviços públicos, a Secretaria de Governo Digital compilou em um guia experiências bem-sucedidas da trajetória de transformação digital do governo federal. O objetivo é inspirar ações inovadoras e demonstrar os atalhos para os demais entes federados.

Sobre Carlos Augusto 9656 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).