Jonh McAfee deixa mensagem antes da morte em prisão da Espanha e extradição para EUA; Empresário desenvolveu antivírus para computadores

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
John McAfee foi um programador de computadores britânico, fundador da McAfee. Foi uma das primeiras pessoas a projetar software antivírus e desenvolver scanner de vírus. Ele nasceu em 18 de setembro de 1945, Cinderford, Reino Unido e faleceu em 23 de junho de 2021, no Centre Penitenciari Brians 2, em Barcelona, na Espanha.
John McAfee foi um programador de computadores britânico, fundador da McAfee. Foi uma das primeiras pessoas a projetar software antivírus e desenvolver scanner de vírus. Ele nasceu em 18 de setembro de 1945, Cinderford, Reino Unido e faleceu em 23 de junho de 2021, no Centre Penitenciari Brians 2, em Barcelona, na Espanha.

O empresário norte-americano de origem britânica Jonh McAfee cometeu suicídio na quarta-feira (23/06/2021) em uma prisão de Barcelona, Espanha, após o tribunal espanhol ter aprovado sua extradição para os Estados Unidos por acusações de evasão fiscal, segundo seu advogado.

O advogado informou que seu cliente, fundador da empresa de segurança de informação McAfee, Jonh McAfee, morreu enforcado, pois seus nove meses de prisão o levaram ao desespero, segundo a agência Reuters.

O departamento regional da Justiça espanhola confirmou que um norte-americano de 75 anos que aguardava extradição foi encontrado morto em sua cela na quarta-feira (23).
No entanto, em uma mensagem no Twitter, publicada em 15 de outubro de 2020, McAfee afirmou que não tinha a intenção de cometer suicídio. Ele declarou que estava feliz com tudo e que tinha amigos.

Ele observou que se ele sofresse o destino do financeiro americano Jeffrey Epstein, que morreu em uma prisão norte-americana, a culpa não seria dele.

​Estou satisfeito aqui. Tenho amigos. A comida é boa. Todo está bem. Saiba que, se eu me enforcar, como Epstein, não será culpa minha.

McAfee trabalhou para a NASA, Xerox e Lockheed Martin antes de lançar o primeiro antivírus comercial em 1987. Vendeu sua empresa de software McAfee à Intel em 2011 e, desde então, não teve mais nenhum envolvimento no negócio.

O empresário foi acusado de evasão de impostos no estado de Tennessee e de fraude de criptomoedas no estado de Nova York. Ele foi detido em 3 de outubro de 2020 no aeroporto de Barcelona, quando estava prestes a embarcar em um voo para Istambul com um passaporte britânico, disse na época uma fonte policial espanhola.

Em meados de junho, a McAfee testemunhou perante a Corte Nacional da Espanha. Ele negou todas as acusações contra ele nos Estados Unidos, dizendo que eram “de natureza política”. O Supremo Tribunal da Espanha concordou em extraditar McAfee para os Estados Unidos ontem, quarta-feira (23).

Fatos sobre a vida de John McAfee, um dos pioneiros no desenvolvimento de programas tipo antivírus

Criação do antivírus McAfee

John McAfee fundou sua empresa em 1987. A McAfee Associates iniciou com serviços gratuitos para usuários comuns, mas, depois, passou a vendê-lo para empresas.

Criada na garagem da casa de McAfee, a empresa cresceu e desenvolveu vários antivírus, que passaram a ser usados por muitas companhias nos EUA e em outros países.

Trabalho na Nasa e Xerox

Em 1967, McAfee concluiu a graduação em Matemática na Faculdade de Roanoke, na Virgínia (EUA). Em 1968, passou a trabalhar como programador na Nasa, agência espacial americana, onde permaneceu por dois anos.

Na década de 1970, ele atuou como programador na Xerox e na Univac. O contato com o desenvolvimento de programas para eliminar vírus começou em 1980, quando foi contratado pela Lockheed.

Com o sucesso nos anos iniciais, a empresa de Jonh McAfee fez uma oferta pública na Bolsa de Valores em 1992. Em 1994, o empresário se desligou da empresa. Ele vendeu todas as suas ações em 1996.

A McAfee passou por reestruturações nos anos seguintes até ser vendida para a Intel, em 2010. À época, o negócio foi avaliado em US$ 7,68 bilhões.

Pior software do planeta

Em 2014, quando a Intel anunciou que mudaria o nome do programa para Intel Security, o fundador do antivírus agradeceu.

Ele afirmou, na ocasião, que era bom se livrar da “associação terrível com o pior software do planeta”. Apesar da comemoração, a mudança não foi concretizada e o nome McAfee continuou sendo usado em antivírus.

Nos últimos anos, o empresário havia se envolvido em diversas polêmicas. Em 2012, autoridades de Belize o apontaram como suspeito de ter envolvimento no assassinato de seu vizinho.

Problemas com a Receita Federal dos EUA e a Justiça de países

Em julho de 2019, ele e a esposa, Janice McAfee, foram presos na República Dominicana. As autoridades do país apreenderam armas e US$ 80 mil que estavam com o casal. Eles foram soltos quatro dias depois.

Em outubro de 2020, McAfee foi preso preventivamente no aeroporto de Barcelona, quando tentava embarcar em um voo para a Turquia. A prisão ocorreu porque ele era procurado por autoridades americanas.

A Justiça espanhola autorizou na última quarta-feira (23) a extradição de McAfee para os EUA.

McAfee era acusado nos EUA pelo crime evasão fiscal. Segundo autoridades americanas, ele não apresentou declarações entre 2014 e 2018, quando teria faturado cerca de US$ 10 milhões.

O próprio admitiu que não pagou impostos nos EUA durante mais de oito anos por entender que eles são “injustos”.

*Com informações da Sputnik Brasil e do Jornal O Globo.

Sobre Carlos Augusto 9612 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).