Câmara Municipal de Feira de Santana ainda não formalizou proposta de veículos para segurança pública, diz prefeito Colbert Martins; Iniciativa do Legislativo apresenta limitação cognitiva e interesse privado

Colbert Martins Filho (MDB), prefeito de Feira de Santana.
Prefeito Colbert Martins Filho (MDB) esclarece necessidade da formalização da proposta.

“A Câmara Municipal ainda não formalizou a proposta de devolver recursos financeiros a ela destinados para o aluguel de carros que serviriam às forças de segurança em Feira de Santana. “Sem a formalização, é impossível administrativamente tornar isso um fato concreto”, explica o prefeito Colbert Martins Filho (MDB).

“Eu estou tomando a iniciativa de esclarecer a necessidade da formalização, porque tenho sido abordado sobre o assunto dos carros, pois há uma expectativa nesse possível reforço na segurança”, acrescenta.

Há exatamente uma semana, o presidente da Câmara Municipal, Fernando Torres, esteve em audiência com o prefeito Colbert Martins para fazer a proposta oficialmente. Porém, até esta segunda-feira (14/06/2021) não houve a formalização, devidamente por escrito, para que sejam encaminhadas as providências cumprindo-se os trâmites legais.

Limitação cognitiva e interesse privado

A iniciativa do vereador Fernando Torres, presidente do legislativo municipal, é típica da torpes mental que afeta a administração pública do Brasil, haja vista que apenas aluguéis de veículos não vão resolver ou amenizar o problema da segurança pública que afeta a comunidade.

Conforme estudos da sociologia da violência, para mudança do quadro de anomia social são necessárias políticas públicas coordenadas entre os entes federativos que resultem na redução acentuada da desigualdade, aceleração da educação, combate ao ingresso e distribuição de armas e drogas ilícitas no território brasileiro, culminado com políticas de habitação, renda básica e emprego. Aliado a estes fatores, investigações policiais que resultem na prisão e desarticulação das lideranças do crime organizado.

Além destes elementos, existe, no mínimo, conflito de interesse ético no desejo do presidente do legislativo em alugar veículos, observando que Fernando Torres é proprietário de postos de combustíveis e empresas de troca de óleo, enquanto outro membro da mesa diretiva da Câmara tem filho que possui empresa de aluguel veículos, ou seja, é estimulado o setor no qual existe interesse econômico privado dos políticos que planejam a iniciativa.

Por fim, a iniciativa de alugueis de veículos teria curta duração, uma vez que a economia realizada pela Câmara Municipal ocorre no ano de 2021, ou seja, não é assegurado que o recurso seja destinado, pelo Legislativo ao Governo Municipal, nos anos subsequentes, com a finalidade de dar continuidade aos contratos de aluguel e de abastecimento de veículos.

Sobre Carlos Augusto 9515 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).