Abate de frangos e produção de leite e ovos na Bahia batem recorde no 1º trimestre de 2021

Abate de frangos no estado apresentou sua maior marca na série histórica, com cerca de 33,2 milhões de animais abatidos no 1º trimestre de 2021.
Abate de frangos no estado apresentou sua maior marca na série histórica, com cerca de 33,2 milhões de animais abatidos no 1º trimestre de 2021.

Nos primeiros três meses de 2021, o abate de frangos, na Bahia, foi de 33.209.050 animais. O número foi 1,1% maior que o registrado no trimestre imediatamente anterior, o 4º trimestre de 2020 (32.850.786), e 4,3% superior ao do 1º trimestre do ano passado (31.832.694).

Foi o melhor resultado do abate de frangos no estado desde 1997, quando se iniciou a série histórica do IBGE. Antes, o melhor resultado era referente ao 4º trimestre de 2020.

No 1º trimestre de 2021, foram abatidas 1,566 bilhão de cabeças de frango em todo o Brasil, também um recorde. O número representa um aumento de 0,7% em relação ao trimestre anterior (1,554 bi) e de 3,3% frente aos três primeiros meses de 2019 (1,515 bi).

A Bahia é o nono maior produtor do país, responsável por 2,1% do abate nacional de frango. O estado que lidera é o Paraná, que representa 33,1% do total nacional.

Produção de leite e ovos também batem recorde no estado

A aquisição de leite cru na Bahia foi de 159,9 milhões de litros no 1º trimestre de 2021, apresentando um aumento de 0,4% em relação ao 4º trimestre de 2020 (159,1 milhões de litros) e 14,8% superior à do 1º trimestre do ano passado (139,2 milhões de litros).

Este também foi o melhor resultado para a produção baiana de leite desde 1997, quando se iniciou a série histórica da Pesquisa Trimestral do Leite, do IBGE. O recorde anterior no estado havia sido registrado no 4º trimestre de 2020.

No 1º trimestre de 2021, a aquisição nacional de leite cru feita pelos estabelecimentos que atuam sob algum tipo de inspeção sanitária (federal, estadual ou municipal) foi de 6,55 bilhões de litros. Houve aumento de 1,8% em relação ao 1° trimestre de 2020 (6,44 bilhões), e queda de 3,5% em comparação ao trimestre imediatamente anterior (6,79 bilhões).

A Bahia é o oitavo maior produtor de leite do Brasil, respondendo, no 1º trimestre de 2021, por 2,4% do leite adquirido no país. Minas Gerais segue liderando amplamente a aquisição de leite, com 25,3% do total.

A produção baiana de ovos de galinha no 1º trimestre de 2021 também bateu o recorde na série histórica do IBGE, iniciada em 1987, sendo de 18,0 milhões de dúzias. Este número representa um aumento de 10,5% frente ao recorde anterior, do 4º trimestre de 2020 (16,3 milhões de dúzias), e de 42,0% em relação ao 1º trimestre do ano passado (12,7 milhões de dúzias).

Em todo o país, a produção de ovos de galinha foi de 978,2 milhões de dúzias no 1º trimestre de 2021. Isso correspondeu a um aumento de 0,3% em relação ao 1º trimestre de 2020 (974,9 milhões), mas mostrou uma queda de 1,3% em relação ao trimestre imediatamente anterior (991,4 milhões). Foi a maior produção em um 1º trimestre desde 1987.

São Paulo segue como maior produtor de ovos do país, com 27,6% da produção nacional no 1º trimestre de 2021. A Bahia é o 12º maior, com 1,8% do total.

Abate de suínos no estado cai frente ao trimestre anterior, mas tem melhor 1º trimestre da série histórica

No 1º trimestre de 2021 o abate de suínos na Bahia foi de 39.393 animais. O número mostrou queda de 10,3% frente ao recorde, no 4º trimestre de 2020 (43.940 animais). Porém foi 35,0% maior do que o registrado no 1º trimestre do ano passado (29.189 animais). O total de 2021 é o melhor para um 1º trimestre, no estado, desde o início da série histórica, em 1997.

No Brasil, foram abatidos 12,62 milhões de suínos no 1º trimestre de 2021. O número é 0,6% superior ao do 4º trimestre de 2020 (12,55 milhões) e 5,7% maior que o do 1º trimestre do ano passado (11,94 milhões).

A Bahia é o 12º maior produtor do Brasil, com 0,3% do total de suínos abatidos no país. Santa Catarina lidera, com 28,9% do total nacional.

Abate de bovinos na Bahia tem o menor resultado desde 2005

No 1º trimestre de 2021, foram abatidas 208.275 cabeças de bovino na Bahia, uma queda de 10,9% em relação ao 4º trimestre de 2020 (quando 233.841 cabeças haviam sido abatidas), e 16,2% menos que o abatido no 1º trimestre de 2020 (248.523 cabeças). Foi o menor resultado para o estado em quase 16 anos, desde o 2º trimestre de 2005.

No Brasil, no 1º trimestre de 2021, foram abatidas 6,56 milhões de cabeças de bovinos sob algum tipo de serviço de inspeção sanitária, menor resultado desde o 1º trimestre de 2009. Essa quantidade foi 10,9% inferior ao trimestre imediatamente anterior (7,36 milhões) e 10,6% inferior à registrada no 1º trimestre de 2020 (7,33 milhões).

A Bahia é o 11º maior produtor do país, representando 3,2% do abate bovino nacional. Mato Grosso continua liderando, com 15,7% de participação no 1º trimestre do ano.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 110932 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]