Semana Global de Segurança no Trânsito quer velocidade padrão de 30km/h

OMS e comissões regionais das Nações Unidas lideram atividades da semana. Adoção da desaceleração em centros urbanos é mote de campanha pedindo compromissos políticos nacionais e locais: iniciativa com hashtag #Love30 acompanha o período da celebração que foi instituída pela Assembleia Geral.
OMS e comissões regionais das Nações Unidas lideram atividades da semana. Adoção da desaceleração em centros urbanos é mote de campanha pedindo compromissos políticos nacionais e locais: iniciativa com hashtag #Love30 acompanha o período da celebração que foi instituída pela Assembleia Geral.

Campanhas ao redor do mundo marcam até este 23 de maio de 2021 a Semana Global de Segurança no Trânsito. O foco das iniciativas deste ano são ações em favor da adoção do limite de velocidade de 30km/h em todas as áreas urbanas.

Em cidades, vilarejos e aldeias o slogan Estradas pela Vida envolve várias partes na questão incentivando que sejam assumidos compromissos políticos, em níveis nacional e local, para que se conduza a essa velocidade.

Mobilização

Falando à ONU News, do Rio de Janeiro, o assessor de Segurança Viária da OMS para o Brasil, Victor Pavarino, explica a lógica por trás da proposta de desaceleração.

“Em nível global a gente estima que há 1,3 milhão de pessoas que morrem, anualmente, nos chamados acidentes de trânsito. Viemos chamando ultimamente aqui no Brasil e em países de língua espanhola, também de sinistros de trânsito. Porque de acidentes eles não têm nada na maioria. São eventos que, em sua imensa maioria, são previsíveis e, portanto, evitáveis. São 1,35 milhão de mortes por ano. E veja bem, isso a gente está falando apenas a ponta do iceberg, apenas daquele topo da pirâmide.”

O especialista listou ainda sequelas que podem ser vividas em famílias por muito tempo depois de passarem por experiências próximas de acidentes de trânsito.

“Além desses 1,35 milhão de pessoas que morrem anualmente, estima-se que até 50 milhões sobrevivem feridos ou com alguma sequela. Ou seja, é muito mais grave do que apenas, entre aspas, os óbitos. Mas a situação dos que sobrevivem e dos que vivem com os que sobrevivem. Aqui estamos falando da possibilidade de um pai ou mão de família que, às vezes, deixam de ser um provedor e passam a ser um ônus, passa a ser um custo para a família. ”

Redes sociais

A Semana Global de Segurança no Trânsito também mobiliza apoio local para baixar a velocidade máxima em favor de cidades mais seguras, saudáveis, verdes e habitáveis.

Um dos destaques serão atividades associando essa medida ao sucesso de uma série de Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, incluindo saúde, educação, infraestrutura, cidades sustentáveis, ação climática e parcerias.

Além desses 1,35 milhão de pessoas que morrem anualmente, estima-se que até 50 milhões sobrevivem feridos ou com alguma sequela

Nas redes sociais, a campanha #Love30 acompanhará o período de celebração proclamada pela Assembleia Geral.

O órgão pediu à OMS e às comissões regionais das Nações Unidas para liderarem atividades que acontecem desde 2007.

Durante a 6ª Semana Global de Segurança no Trânsito será promovida a Década de Ação para Segurança no Trânsito 2021-2030.

O Plano Global está alinhado à Declaração de Estocolmo e também será divulgado no período.

Riscos

O compromisso defende que que se projete a segurança no trânsito em diferentes dimensões, e apela a melhorias contínuas no projeto de estradas e veículos. Também são incentivadas novas leis e sua aplicação em caso de comportamentos de risco como excessos na velocidade, no consumo de álcool e na direção.

Além de defender o atendimento de emergência atempado para os feridos, o Plano de Ação também prevê a divulgação de práticas saudáveis e ecológicas como caminhadas, ciclismo e o uso do transporte público nos centros urbanos.

*Com informações da ONU News.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 111082 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]