Recicladores de Feira de Santana recém apoio social da LBV

LBV apoia catadores de Feira de Santana, com doação de cestas básicas de alimentos.
LBV apoia catadores de Feira de Santana, com doação de cestas básicas de alimentos.

A pandemia não acabou e os catadores de materiais recicláveis sofrem os impactos da pandemia, que dura para mais de um ano, trazendo insegurança para essas famílias. Com o risco de contágio, escassez de material e diminuição de renda, a pandemia continua preocupando as famílias.Para minimizar a dor dos recicladores, a Legião da Boa Vontade (LBV), beneficiou 150 catadores de Feira de Santana, nessa quinta-feira (29/04/2021).

As famílias levaram para casa cestas de alimento contendo óleo, café, feijão, farinha de mandioca, arroz, macarrão, leite, entre outros itens que totalizaram 18kg de alimentos não perecíveis, além dos kits de limpeza, contendo água sanitária, sabão em barra, sabonetes, álcool em gel 70%, creme dental é uma máscara reutilizável. O objetivo é ajudar as famílias e compartilhar um pouco de esperança em meio aos desafios econômicos que a pandemia trouxe para a vida de cada reciclador.

A primeira entrega aconteceu pela manhã, no galpão, onde os catadores entregam os resíduos, na sede da ARTEMARES – Associação Regional dos Trabalhadores de Materiais Recicláveis de Feira de Santana e beneficiou 70 recicladores.  Dona Cleusa Maria de Jesus se emocionou ao receber a cesta de alimentos: “Olho para os quatro cantos da casa, não vejo o pão de cada dia e eu fico muito preocupada. É muito difícil… veio numa boa hora, eu estava muito necessitada”, disse Dona Cleusa, em lágrimas. Ela mora com o filho desempregado, vive da reciclagem e não é aposentada. O pouco que ganha serve para pagar o aluguel e comprar itens básicos para casa.

Essa é a realidade de muitos outros recicladores que sobrevivem dessa renda e com as doações da LBV, vão poder comprar a proteína tão escassa na mesa nesse momento de pandemia. Como é o caso de Dona Zilda Gonçalves dos Santos, que ao receber a cesta comemorou: “Vai me ajudar bastante, porque vou poder comprar a carne”, afirmou.

A entrega aconteceu durante todo o dia para evitar aglomerações. Pela tarde, a LBV foi até os locais de reciclagem que ficam em bairros periféricos de Feira de Santana. Andrea Mendes da Silva relatou o preconceito que ainda sofre por ser uma recicladora: “Na minha rua o povo fica me chamando de cata lixo, só que esse trabalho pra mim é um orgulho, é o trabalho que me sustenta. E é muito importante, porque a gente está limpando a cidade, não está deixando a cidade suja”, afirmou Andréa.

O Presidente da ARTEMARES, Jailton Cardoso destacou os impactos que a reciclagem sofreu durante a pandemia e a importância dessa renda para os recicladores: “Tivemos muitos problemas ano passado, com medo de contaminação, o material ficava escasso e a gente só não desistiu porque temos um objetivo na vida que é a sustentabilidade para as pessoas que mais precisam. Muitas pessoas que trabalham na reciclagem são de idade avançada, não tem escolaridade, e para conseguir um emprego formal no mercado é muito difícil”. Jailton conta que esse ano, a cesta da LBV foi a primeira cesta de alimento que Associação recebeu.

A LBV contou com o apoio de diversos parceiros, como a Kicaldo que doou duas toneladas de alimentos, a Rafer Transportes que transportou as doações para Cooperativa, nesse trabalho de socorro à famílias mais vulneráveis da Princesinha do Sertão. Os recicladores levaram mais que alimentos e itens de limpeza para casa, levaram também esperança, atenção e afeto, como afirma Joy Freitas, fotógrafa feirense que esteve presente na entrega e registrou voluntariamente a emoção das famílias: “Essas doações trazem um pouquinho de alento para essas pessoas, elas estão sendo acolhidas, sentindo esse aconchego, porque além de ser uma ajuda material, também é carinho porque eles se sentem lembrados. Você vê o sorriso nos olhos, a satisfação e a gente se sente grato, doando o nosso tempo, nosso carinho”.

Joy ainda deixou uma dica para quem quer ajudar, mas nem sempre pode ajudar financeiramente: “Você pode doar seu tempo, pode doar a atenção, as pessoas querem ser ouvidas, acolhidas. A gente pensa que poderia fazer até mais e pensa quanto tempo deixou de fazer e ao mesmo tempo a gente agradece pelo que tem porque vemos pessoas que tem menos”, afirmou Joy.

A LBV continua com a intensa mobilização social, por meio de suas campanhas emergenciais que visam amparar as famílias mais vulneráveis que foram fortemente afetadas pelos impactos socioeconômicos da pandemia da Covid-19. A meta da LBV é entregar por meio da Campanha Diga SIM, até agosto, nas cinco regiões do país, 85 mil cestas de alimentos; 242 mil litros de leite; 91 mil kits de higiene e de limpeza; além de continuar com todo atendimento em suas 82 unidades socioeducacionais.

Como ajudar

Acesse www.lbv.org.br e colabore. Selecione a opção que desejar e, de coração, doe qualquer valor. Se preferir, faça uma transferência bancária pelo PIX oficial da LBV: [email protected]

“Olho para os quatro cantos da casa, não vejo o pão de cada dia e eu fico muito preocupada. É muito difícil”, diz Jailton Cardoso, presidente da ARTEMARES.
“Olho para os quatro cantos da casa, não vejo o pão de cada dia e eu fico muito preocupada. É muito difícil”, diz Jailton Cardoso, presidente da ARTEMARES.
Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9389 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).