Novo álbum de forró do cantor Luiz Caldas traz participação de Carlinhos Brown

Álbum será lançado com dez canções autorais que fazem um convite ao clima de alegria das festas juninas.
Álbum será lançado com dez canções autorais que fazem um convite ao clima de alegria das festas juninas.

Pelo nono ano consecutivo, Luiz Caldas entra no mês de junho dando uma imensa contribuição para a valorização das raízes do forró. Ele lança próximo dia (01/06/2021) o álbum Remelexo Bom, com dez canções autorais, a contribuição de quatro sanfoneiros de peso – Marquinhos Café, Jussiê do Acordeon, Daniel Novaes e Theus Oliveira, e a participação do “cumpade” Carlinhos Brown na faixa Carta de Zé.

Desde 2013, todo mês de junho Luiz lança um álbum de forró, contemplando o ritmo na sua versão mais tradicional e genuína, dentro do seu projeto de lançamentos mensais. Todos os discos de forró estão disponíveis no site do artista (www.luizcaldas.com.br), e compõem uma trilha sonora junina preciosa para quem busca fruir esse gênero musical saído das mãos de quem cultiva o forró na sua originalidade.

Além dos discos do projeto mensal, Luiz soma outros de carreira dedicados ao ritmo. Os que integram o projeto são: São João em Casa (2020), O Fogo do Forró (2019), Zoinho (2018), Um Tantinho Assim (2017), Xote e Baião (2016), Forró Daquele (2015), Calundu (2014), Forró de Luiz (2013).

“O álbum atual é como um rio que molha a raiz do forró, deixando-a mais fértil e saudável. O que eu quero dizer é que eu estou usando fórmulas originais e antigas que sempre foram usadas no forró. É um disco com um instrumental cem por cento acústico, nada eletrônico, e eu trago um pouco da coisa jocosa nas letras, com um duplo sentido que já fez muito sucesso, sem conotação sexual, mas fazendo duplo sentido com coisas engraçadas, e ficou bem interessante”, comenta ele.

Na canção O Pão Duro (Luiz Caldas e Reinaldo Barbosa), a letra brinca com a figura popular do cara “mão de vaca”: Pense num sujeito que é pau pra toda obra /Pega no batente, pega no pesado/ Mas ninguém nunca vê a cor do seu dinheiro /Ele tá sempre dizendo que tá duro e apertado /Não divide a conta com ninguém /Faz que não viu, não faz nenhum esforço /Fora algumas vezes que ele sai de fininho /Pode reparar que a roupa dele nem tem bolso.

Em mais um esforço de celebrar a aura festiva tão ímpar que o forró proporciona, a canção É São João (Luiz Caldas e Paulinho Caldas) aborda a magia de uma noite junina: São João é uma festa do povo/ Da fogueira, sanfona e do baião /É a brasa que solta faíscas /É a luz que no céu risca /É o milho e o quentão. “O disco passeia pelo humor e pela melancolia, porque o nordestino é aquele que sofre com a seca, mas mesmo sofrendo nunca abandona seu espírito alegre”, comenta Luiz.

Além dos parceiros Reinaldo Barbosa e Paulinho Caldas, o compositor Cesar Rasec assina junto com Luiz em Carta de Zé e Forró Zé Bode. A coprodução do disco é de Nagib Barroso. O mestre Luiz Caldas, por sua vez, assina direção, produção, arranjos, gravação, violões, cavaquinho e voz. A percussão é de Claudinho Guimarães.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 116923 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.