Em pareceres enviados ao STF, Augusto Aras defende liberdade de culto como direito fundamental, sendo desproporcional o fechamento dos templos. Tese demonstra despreparo, desinteligência e adesão ao culto da morte liderado pelo extremista Jair Bolsonaro.
Sistema Judicial

Necropoder: Procurador-geral Augusto Aras demonstra despreparo, desinteligência e adesão ao culto da morte liderado pelo extremista Jair Bolsonaro, ao apresentar tese de abertura de templos religiosos em meio à pandemia

Observados os protocolos setoriais relativos a cada matriz religiosa e atendidas as medidas sanitárias definidas pelo Ministério da Saúde, há de ser assegurada a realização de cultos, missas e demais atividades religiosas de caráter coletivo,