OMS diz que desigualdade na vacinação entre países aumenta diariamente

Tedros Ghebreyesus disse que “é chocante como pouco foi feito” para evitar um “fracasso moral catastrófico”.
Tedros Ghebreyesus disse que “é chocante como pouco foi feito” para evitar um “fracasso moral catastrófico”.

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) disse que “é chocante como pouco foi feito” para evitar um “fracasso moral catastrófico” em que as nações mais ricas vacinam suas populações contra a Covid-19 muito mais rapidamente que os países de baixa renda.

Falando a jornalistas em Genebra, Tedros Ghebreyesus afirmou que o mundo tem os meios para garantir a distribuição equitativa das vacinas, mas a desigualdade entre Estados-membros está crescendo a cada dia.

Segurança

Tedros disse que, nesse momento, alguns países estão vacinando pessoas jovens e saudáveis ​​com baixo risco de contágio, enquanto outros ainda não vacinaram seus profissionais de saúde, idosos e outros grupos de risco.

Segundo ele, a distribuição injusta de vacinas não é apenas um ultraje moral, é também autodestrutiva do ponto de vista econômico e epidemiológico.

Tedros afirmou ainda que a rápida vacinação pode comprar segurança de curto prazo, mas é uma falsa sensação de segurança.

Ele explicou que, quanto mais transmissão, mais variantes surgem, e quanto mais variantes surgem, maior a probabilidade de serem resistentes às vacinas.

Recuperação

O chefe da OMS contou ainda que, enquanto o vírus continuar a circular em algum lugar, as pessoas continuarão a morrer, o comércio e as viagens continuarão sendo interrompidos e a recuperação econômica sendo adiada.

Tedros deu o exemplo da Coreia do Sul, um país de alta renda que poderia comprar vacinas por meio de acordos bilaterais, mas esperou sua vez através da iniciativa Covax.

Produção

Tedros disse ainda que a OMS continua trabalhando dia e noite para encontrar soluções para aumentar a produção e distribuição equitativa de vacinas.

O chefe da OMS tem conversado com líderes de países de alta renda que têm mais doses do que precisam, pedindo que as compartilhem, e falado com executivos de fabricantes sobre como aumentar a produção.

Ele disse que, recentemente, conversou com o diretor-executivo da AstraZeneca, a única empresa que prometeu não lucrar com sua vacina durante a pandemia. A empresa também deu acesso de sua tecnologia para outras empresas, que estão produzindo mais de 90% das vacinas que já foram distribuídas pela Covax.

Para Tedros, o mundo “precisa que mais produtores de vacinas sigam este exemplo.”

AstraZeneca

Na sexta-feira, o Comitê Consultivo Global da OMS sobre Segurança de Vacinas concluiu que os dados disponíveis não sugerem qualquer aumento nas condições de coagulação após a administração da vacina Oxford-AstraZeneca.

Esta segunda-feira, a empresa anunciou resultados positivos de um ensaio da vacina entre mais de 32 mil pessoas no Chile, Peru e Estados Unidos.

A vacina mostrou uma eficácia de 79% na prevenção da doença e 100% de eficácia na prevenção de hospitalização e morte.

Para Tedros, esses dados “são mais evidências de que a vacina Oxford-AstraZeneca é segura e eficaz.”

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 111141 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]