Plenário elege Adolfo Menezes e nova mesa diretora da ALBA para o biênio 2021-2023

Deputado Adolfo Menezes (PSD) é eleito presidente da ALBA para o biênio 2021–2023.
Deputado Adolfo Menezes (PSD) é eleito presidente da ALBA para o biênio 2021–2023.

O deputado Adolfo Menezes (PP) foi proclamado, às 18h41 de ontem, presidente da Assembleia Legislativa da Bahia para o biênio 2021–2023. Obteve 60 votos, a maior votação de todos os integrantes da nova Mesa Diretora. Aplaudido de pé pelos parlamentares, ele passou a direção da sessão ao deputado Alan Sanches (DEM) para proferir, emocionado, seu discurso inicial compromissado com o compartilhamento das decisões, a abertura do gabinete da Presidência aos pares e com a austeridade.

Foi uma transição negociada, transparente, que observou a proporcionalidade na distribuição dos cargos. Onze partidos presentes no plenário da ALBA ocuparam os 14 cargos da Mesa Diretora recém-eleita (incluídos cinco suplentes). Precauções sanitárias severas limitaram o acesso ao local das votações na longa sessão que durou mais de quatro horas e meia. Todos mediram a temperatura antes de ingressar na Assembleia, álcool 70 foi disponibilizado e o acesso à sala do cafezinho e ao Saguão Nestor Duarte vedado.

Ao todo, foram realizadas três votações secretas, pois Hilton Coelho (Psol) se lançou candidato à presidência, como já fizera na eleição do deputado Nelson Leal (PP) dois anos antes, e o deputado Marcelinho Veiga (PSB) disputou com a correligionária Fabíola Mansur, e venceu, a votação para a segunda vice-presidência. Por acordo, os demais cargos foram votados de uma só vez através de chapa confeccionada na Secretaria Geral da Mesa. O processo de votação começou às 14h48, após o presidente da sessão, Nelson Leal, explicar a sistemática dos trabalhos e cada parlamentar apresentar o nome para a votação.

Secretariado pela deputada Maria del Carmen (PT), as chamadas privilegiaram os 15 deputados com mais de 60 anos por ordem alfabética, sendo os demais chamados à cabine indevassável também nessa ordem. A votação que definiu a presidência levou 38 minutos. A disputa pela segunda vice, apenas 20, e o restante da chapa 36. Para a escrutinação, foram convocados os deputados Samuel Jr. (PDT), Vitor Bonfim (PL) e Sandro Régis (DEM). Antes de proclamar o resultado, o presidente da Mesa que encerrava o mandato, deputado Nelson Leal, se despediu com um discurso da tribuna em que celebrou a tolerância, o respeito, a democracia, e agradeceu o apoio recebido nos 731 dias de sua presidência.

Lamentando os 224 mil mortes da Covid-19, não poupou críticas à condução que a Presidência da República imprimiu no combate ao flagelo, observando um minuto de silêncio para marcar o seu pesar pelas mortes, e lembrou o técnico de informática da ALBA Cícero Clemente. Com emoção, agradeceu aos pais, Emerson e Lia, a esposa, Danda, e às três filhas e irmãos pelo apoio – bem como elogiou o sucessor. Também agradeceu a cada deputado, aos membros da Mesa, aos líderes, ao funcionalismo e ao governador Rui Costa e ao vice-governador João Leão.

O tom da fala do presidente Adolfo Menezes foi igualmente cordial em relação ao antecessor, bem como da defesa da ciência como mecanismo para o combate à pandemia. Ele lamentou a morte de tantos brasileiros – mais de dez mil baianos – e elogiou a postura responsável do governador Rui Costa e do então prefeito ACM Neto, que deixaram divergências de lado e trabalharam juntos em prol dos baianos. Elogiou e agradeceu o trabalho dos profissionais de saúde e assumiu o compromisso de compartilhar o poder com os pares, evitando as decisões monocráticas.

Emocionado, conteve as lágrimas a custo em duas oportunidades, analisou as dificuldades econômicas geradas pela pandemia, bem como a perda de milhares de empregos com o fechamento da Ford em Camaçari. Em pediu o apoio dos servidores, “certo de contar com o melhor empenho de todos” e agradeceu o apoio de todos os colegas e, em especial, ao governador Rui Costa. Ele também dirigiu palavras de agradecimento aos senadores baianos, Jaques Wagner, Otto Alencar e Angelo Coronel, bem como ao vice-governador João Leão.

O presidente Adolfo Menezes lembrou o irmão, o falecido deputado Herculano Menezes, e o pai, Pedro, igualmente desaparecido. Encerrou com agradecimentos citando a esposa Denise, a mãe, dona Josefa, que aos 90 anos compareceu à cerimônia, aos dois filhos e irmãos. Foi aplaudido seis vezes. Após o encerramento dos trabalhos, deu coletiva na sala que leva o nome do seu irmão, Herculano Menezes.

Composição da mesa diretora para o biênio 2021-2023

Adolfo Menezes (PSD)  Presidente 60 votos

 Paulo Rangel (PT)  1º Vice-presidente 58 votos

 Marcelo Veiga (PSB) 2º Vice-presidente 36 votos

 Bobô (PC do B) 3º Vice-presidente 56 votos

Paulo Câmara (PSDB) 4º Vice-presidente 53 votos

Júnior Muniz (PP) 1º Secretário 55 votos

Alan Sanches (DEM) 2º Secretário 59 votos

 Soldado Prisco (PSC) 3º Secretário 52 votos

 Neusa Cadore (PT) 4ª Secretária 54 votos

Composição dos  suplentes da mesa diretora para o biênio 2021-2023

Roberto Carlos (PDT) 58 votos

Fátima Nunes (PT) 56 votos

Mirela Macedo (PSD) 57 votos

Kátia Oliveira (MDB) 57 votos

Sobre Carlos Augusto 9506 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).