Os desordeiros do Capitólio acusam ex-presidente Donald Trump na nova defesa legal; Ele nos convidou, dizem

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Protestos no Capitólio, ocorridos em 6 de janeiro de 2021, levaram governo dos EUA a colocar exército na capital do país. Militares realizam patrulhamento em 13 de janeiro de 2021.
Protestos no Capitólio, ocorridos em 6 de janeiro de 2021, levaram governo dos EUA a colocar exército na capital do país. Militares realizam patrulhamento em 13 de janeiro de 2021.

Emanuel Jackson, um homem de 20 anos da área de Washington, foi filmado usando um bastão de metal para golpear os escudos de proteção dos policiais enquanto tentavam se defender dos manifestantes que atacavam o Capitólio dos Estados Unidos em 6 de janeiro de 2021.

Jackson, que aguarda julgamento no tribunal federal por acusações de agressão, agora está adotando uma nova defesa legal: tentar colocar a culpa em Donald Trump, citando os comentários do ex-presidente em um comício “Stop the Steal” pouco antes do cerco ao Capitólio.

Trump disse à multidão para “lutar como o inferno”, disse “não vamos aguentar mais” e repetiu suas falsas alegações de que a eleição foi roubada dele por meio de fraude eleitoral generalizada. Trump exortou seus seguidores a irem ao Capitólio. A agitação que se seguiu interrompeu a certificação do Congresso da vitória eleitoral do presidente Joe Biden, fez com que legisladores se escondessem e deixaram cinco mortos, incluindo um policial.

A advogada de Jackson, Brandi Harden, escreveu em uma ação judicial em 22 de janeiro que “a natureza e as circunstâncias deste crime devem ser vistas através das lentes de um evento inspirado pelo Presidente dos Estados Unidos.”

O cerco ao Capitólio, Harden acrescentou, “parece ter sido espontâneo e desencadeado pelas declarações feitas durante o comício ‘Pare o Roubo’.” Harden argumentou que Jackson deveria ser libertado enquanto aguarda o julgamento. Um juiz em 22 de janeiro negou o pedido.

Pelo menos seis das 170 pessoas acusadas de conexão com o cerco ao Capitólio tentaram transferir pelo menos parte da culpa para Trump enquanto se defendiam no tribunal ou no tribunal da opinião pública.

Outros réus que seguiram esse caminho incluem Jacob Chansley, que usou um cocar com chifres e pintura facial durante o ataque, e Dominic Pezzola, um membro do grupo extremista de direita Proud Boys acusado de estilhaçar uma janela no Capitólio com um escudo policial para que os desordeiros pudessem entrar.

*Com informações de Jan Wolfe, da Agência Reuters.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 113867 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]