Chefs de cozinha baianos assinam receitas com ingredientes da agricultura familiar em Calendário 2021

Receitas com ingredientes da agricultura familiar estão em calendário.
Receitas com ingredientes da agricultura familiar estão em calendário.

Receitas com ingredientes tradicionais e saudáveis da agricultura familiar baiana, elaboradas por chefs de cozinha, cozinheiros e cozinheiras da Bahia, a exemplo da Moqueca Trilogia, da chef Tereza Paim, e Pão de Copioba, da padeira Andrea Albuquerque, estão disponíveis no Calendário 2021 do Bahia Produtiva, projeto do Governo do Estado executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR). Todas as receitas estão disponíveis no site www.car.ba.gov.br.

A ação é resultado de uma parceria consolidada entre a SDR/CAR e os profissionais da cozinha, para aproximá-los de associações e cooperativas da agricultura familiar. A parceria já rendeu atividades como as expedições gastronômicas por sistemas produtivos estratégicos na Bahia, com visitas de chefs de cozinha a comunidades rurais, e a Cozinha Show, que apresentou nas últimas edições da Feira Baiana da Agricultura Familiar e Economia Solidária, receitas elaboradas por cozinheiras e cozinheiros utilizando como ingredientes produtos da sociobiodiversidade baiana, produzidos pela agricultura familiar, a exemplo do cacau e chocolates especiais, licuri e farinha de copioba.

Andrea Albuquerque, padeira e sócia/proprietária da Divino Pão, explica que, ao longo desses cinco anos de existência a Divino Pão, sempre trabalhou priorizando o uso dos ingredientes locais, oriundos da agricultura familiar, produzidos no estado: “É a forma que encontramos de valorizar e estimular a produção local, dando uma identidade única para nossos produtos. Um dos carros-chefe da padaria é o pão de Copioba, um tipo de farinha de mandioca produzida, exclusivamente, na Bahia. Em nossas receitas já usamos licuri, café, cacau e chocolate, todos produtos da agricultura familiar baiana”.

Caco Marinho, presidente do Instituto Ori e cozinheiro da Aliança do movimento SlowFood, que defende a soberania e a segurança alimentar, atuando como embaixador do alimento bom, limpo e justo para todos, destaca a importância dessa aproximação com a agricultura familiar: “Os cozinheiros da chamada ecogastronomia ou gastronomia responsável são coprodutores e andam juntos, lado a lado, com os produtores, respeitando o tempo de cada coisa, os limites dos recursos naturais, o valor da força de trabalho e o saber fazer. Acreditam no alimento como um poderoso transformador social”.

O Bahia Produtiva valoriza os produtos locais e também a aproximação de agricultores familiares dos profissionais do setor da gastronomia da Bahia. Com uma série de ações, que o projeto vem realizando nos últimos três anos, para aproximar o mundo rural desses profissionais, formadores de opinião: “O calendário é mais uma ação feita pelo projeto, em parceria com chefs de cozinha, cozinheiros e cozinheiras da Bahia e serve tanto para destacar e valorizar os produtos, quanto para mostrar possibilidades e oportunidades de receitas e preparações, que podem ser feitas no dia a dia, com os produtos da agricultura familiar baiana”, explica Guilherme Martins, coordenador de Inteligência de Mercado do Bahia Produtiva.

Receitas gastronômicas levam ingredientes da agricultura familiar.
Receitas gastronômicas levam ingredientes da agricultura familiar.
Receitas gastronômicas levam ingredientes da agricultura familiar.
Receitas gastronômicas levam ingredientes da agricultura familiar.
Sobre Carlos Augusto 9455 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).