Brasil, Angola e Moçambique lideram números da Covax entre lusófonos

Total de mais de 330 milhões de doses serão destinadas a economias de rendimento baixo e médio.
Total de mais de 330 milhões de doses serão destinadas a economias de rendimento baixo e médio.

Economias de rendas baixa e média já conhecem a distribuição detalhada de vacinas contra a Covid-19 a ser feita por país. O processo deve acontecer no primeiro e segundo trimestres deste ano.

A previsão foi publicada pela iniciativa da Organização Mundial da Saúde, OMS, Covax. A parceria envolve a Aliança de Vacinas Gavi e a Coalizão para Inovações em Preparação para Epidemias, Cepi.

Doses

A distribuição cobre 240 milhões de doses da vacina AstraZeneca / Oxford licenciada para o Serum Institute of India, Astrazeneca / SII. Outros 96 milhões de unidades fazem parte do acordo separado fechado entre a biofarmacêutica e a Aliança Gavi. Há também uma previsão geral de 1,2 milhão de doses da vacina Pfizer-BioNTech sob uma Lista de Uso de Emergência da OMS.

Lusófonos

Entre os países lusófonos, o Brasil receberá 10.672.800 doses da chamada Astrazeneca/SKBio. Do mesmo produto, Timor-Leste terá 100.8 mil unidades.

Angola deve receber mais de 2,5 milhões de doses da vacina Astrazeneca/ SII. Deste mesmo produto, Cabo Verde terá 108 mil unidades, Guiné-Bissau 144 mil, São Tomé e Príncipe 96 mil e para Moçambique serão enviadas 2.424.000 doses do produto.

De acordo com especialistas da Covax, as doses totais do imunizante cobrem, em média, 3,3% da população total dos 145 países participantes que recebem doses de pelo menos um fabricante na lista publicada.

A alocação obedece à meta do mecanismo de atingir pelo menos 3% de cobertura populacional em todos os países no primeiro semestre do ano. Para a Covax, esse total é “o suficiente para proteger os grupos mais vulneráveis, como profissionais de saúde. ”

Passo importante

O mecanismo realçou ainda a expectativa da parceria global em relação à publicação dos dados, agora compartilhados com todas as economias participantes, como “um primeiro passo importante”.

O propósito da Covax é fornecer aos governos e líderes de saúde pública as informações necessárias para implementar medidas práticas para o fornecimento de doses antecipadas e um lançamento nacional bem-sucedido de vacinas.

Acesso

Reagindo ao anúncio, o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, disse ter concluído um acordo de fornecimento de longo prazo com o Serum Institute da Índia para vacinas contra a Covid-19.

O entendimento prevê “o acesso a dois produtos de vacina por meio de transferência de tecnologia da Astrazeneca e Novavax”.  O Unicef e parceiros, incluindo a Organização Pan-Americana da Saúde, Opas, terá acesso a até 1,1 bilhão de doses de vacinas para cerca de 100 países de baixa e média baixa rendas no valor de cerca de US$ 3 a dose.

Para a agência, o acordo é de grande valor para os doadores da Covax e uma forte demonstração de um dos princípios fundamentais da iniciativa de que, juntando recursos, se pode negociar coletivamente para obter melhores resultados.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 110945 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]