Presidente Xí Jìnpíng destaca bom começo para construção plena da China socialista moderna

Xí Jìnpíng, presidente da China, secretário-geral do Comitê Central do Partido Comunista da China (PCC) e presidente da Comissão Militar Central.
Xí Jìnpíng, presidente da China, secretário-geral do Comitê Central do Partido Comunista da China (PCC) e presidente da Comissão Militar Central.

O presidente chinês, Xi Jinping, pediu na segunda-feira (11/01/2021) a garantia de um bom começo para a construção integral de um país socialista moderno.

Xi Jinping é, também, secretário-geral do Comitê Central do Partido Comunista da China (PCC) e presidente da Comissão Militar Central, fez as declarações ao discursar na abertura de uma sessão de estudo da Escola do Partido do Comitê Central do PCC com a presença de funcionários provinciais e ministeriais.

Xi enfatizou a necessidade de implementar resolutamente os princípios orientadores da quinta sessão plenária do 19º Comitê Central do PCC e exigiu que os funcionários compreendam com precisão a nova etapa de desenvolvimento, ajam na nova filosofia de desenvolvimento e acelerem o estabelecimento do novo paradigma de desenvolvimento para impulsionar o desenvolvimento de alta qualidade durante o período do 14º Plano Quinquenal (2021-2025).

Nova etapa

Xi disse que a nova etapa de desenvolvimento permanece no estágio primário do socialismo, mas também é um novo ponto de partida construído em décadas de desenvolvimento.

“Nós estabelecemos uma base material sólida para embarcar em uma nova jornada e alcançar novos e maiores objetivos por meio de nossos esforços incessantes desde a fundação da Nova China, especialmente ao longo das quatro décadas desde a reforma e abertura.”

Xi disse que a nova etapa de desenvolvimento abrange os próximos 30 anos, durante os quais a China deverá concluir a modernização.

Ele destacou que o estágio primário do socialismo não é estático, mas dinâmico, ativo, promissor e permeado por uma vitalidade vigorosa.

Para o socialismo da China avançar do estágio primário para um superior, é necessário construir completamente uma China socialista moderna e realizar basicamente a modernização socialista, acrescentou.

“O mundo está passando por mudanças profundas não vistas em um século, mas o tempo e a situação estão a nosso favor.”

Xi apontou que existem desafios e oportunidades sem precedentes, tanto no presente quanto durante algum tempo, mas em geral as oportunidades superaram os desafios.

Ele sublinhou a necessidade de o Partido cumprir seu trabalho e perseverança na concretização dos objetivos definidos.

Nova filosofia

Desde o 18º Congresso Nacional do PCC, foram apresentadas muitas teorias e conceitos importantes sobre o desenvolvimento econômico e social, sendo a nova filosofia de desenvolvimento a principal e mais importante, que levou a China a fazer conquistas e transformações históricas no desenvolvimento econômico, disse Xi.

Ele ordenou que os membros do Partido pratiquem plena e fielmente a nova filosofia de desenvolvimento, cujas “raízes” e “alma” residem na luta pelo bem-estar das pessoas e pelo rejuvenescimento nacional.

Xi também ressaltou uma abordagem orientada para o problema na implementação da filosofia, pedindo medidas mais direcionadas e pragmáticas para lidar com a questão do desenvolvimento desequilibrado e inadequado.

Devem ser feitos esforços para fortalecer a consciência dos perigos potenciais, persistir em considerar o pior cenário e sempre estar pronto para enfrentar situações ainda mais complexas e difíceis, acrescentou.

“Nós devemos ser corajosos para lutar e ser bons nisso. Devemos nos fortalecer de forma abrangente.”

Novo paradigma

Xi disse que é uma grande tarefa estratégica para o desenvolvimento geral da China estabelecer em um ritmo mais rápido o novo paradigma de desenvolvimento com “dupla circulação”, em que os mercados interno e externo se reforçam entre si, com o mercado interno como pilar.

Somente suavizando a circulação doméstica a China poderá resistir às rápidas mudanças na arena internacional, observou ele.

Xi destacou a necessidade de manter a circulação econômica desobstruída, enfatizar ainda mais a inovação independente, fortalecer os arranjos para a inovação científica e impulsionar o estabelecimento dos mecanismos que facilitam a inovação e os avanços tecnológicos.

Ele também pediu a criação de um sistema eficaz para aumentar a procura interna, libertando o potencial de procura interna e incentivando os gastos dos consumidores, tornando a formação de um superdimensionado mercado interno um curso sustentável da história.

Novas vantagens devem ser criadas para que a China se engaje na cooperação e competição internacional, e atenção deve ser prestada ao uso da circulação internacional para aumentar a eficiência e a qualidade da circulação doméstica, segundo Xi,

Ressaltando a liderança geral do Partido sobre a modernização socialista da China, Xi exigiu que os funcionários em todos os níveis, especialmente os de alto escalão, continuem melhorando seu julgamento político, compreensão e execução para a implementação eficaz das decisões e planos da liderança do Partido.

O evento de segunda-feira foi presidido por Li Keqiang. Participaram do evento Li Zhanshu, Wang Yang, Wang Huning, Zhao Leji e Han Zheng – todos membros do Comitê Permanente do Birô Político do Comitê Central do PCC. Também participou o vice-presidente, Wang Qishan.

Presidindo a cerimônia de abertura, Li Keqiang pediu um estudo aprofundado do discurso de Xi, que é de grande e profundo significado e esforços para implementar completamente as principais decisões e planos do Comitê Central do PCC para o período do 14º Plano Quinquenal.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9394 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).