EUA: Presidente eleito Joe Biden reverterá políticas trumpistas logo após posse

Nas primeiras horas após assumir, novo chefe de Estado, Joe Biden assinará uma série de decretos presidenciais abordando pandemia, dificuldades da economia nacional, injustiça racial e mudança climática.
Nas primeiras horas após assumir, novo chefe de Estado, Joe Biden assinará uma série de decretos presidenciais abordando pandemia, dificuldades da economia nacional, injustiça racial e mudança climática. Democrata Biden assume país em dificuldades após quatro anos de Governo Trump.

O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, deverá assinar “mais ou menos uma dúzia” de ordens executivas em seu primeiro dia de mandato, anunciou neste sábado o principal assessor do político democrata neste sábado (16/01/2021).

Em memorando aos altos funcionários, o futuro chefe de gabinete da Casa Branca Ron Klain esclareceu que os decretos presidenciais terão como objeto a pandemia de covid-19, a debilitada economia americana, a injustiça racial no país e a mudança climática.

“Em seus primeiros dez dias no cargo, o presidente eleito Biden adotará ações decisivas para encarar essas quatro crises, prevenir outros danos urgentes e irreversíveis e restaurar o lugar da América no mundo.”

Nas primeiras horas após ser empossado, em 20 de janeiro, o novo presidente deverá usar o dispositivo executivo para cumprir diversas promessas de campanha eleitoral, inclusive retornar ao Acordo do Clima de Paris e anular a proibição de ingresso nos EUA para cidadãos de certos países de maioria muçulmana.

Outros planos incluem estender a suspensão temporária da devolução dos créditos estudantis federais, sustar ordens de despejo e execuções de hipotecas, e tornar obrigatório o uso de máscaras protetoras nas viagens interestaduais e em estabelecimentos federais.

Desafios dos EUA pós-Trump

Na quinta-feira, Biden já anunciara um pacote de estímulo econômico no valor de US$ 1,9 trilhão, a fim de revitalizar a economia nacional. Além de ajuda direta às famílias e pequenas empresas e comunidades, o fundo visa acelerar o processo de vacinação contra o novo coronavírus.

Os EUA enfrentam numerosos desafios no momento em que o democrata Joe Biden assume a presidência após quatro anos de trumpismo. Estima-se que em breve o número de mortes pela covid-19 vá chegar a 400 mil, e a economia enfrenta dificuldades.

No entanto, o presidente eleito “agirá – não só para reverter os danos mais graves da administração Trump – mas também para começar a movimentar nosso país adiante”, prometeu Klain em seu memorando.

Outros decretos presidenciais a serem assinados nos nove dias seguintes à posse incluem medidas para intensificar a testagem do Sars-Cov-2 e priorizar os produtos de fabricação americana nas aquisições governamentais, informou o chefe de gabinete nomeado.

*Com informações do DW.

Sobre Carlos Augusto 9508 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).