Ex-presidente Dilma Rousseff corrige Ciro Gomes e aponta queda do desemprego recorde no período em que governou

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
“Durante o governo Lula e o meu governo, nós criamos 19,6 milhões de empregos formais, com carteira assinada. Um recorde histórico”, lembra ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Ex-ministro do governo Lula, Ciro Gomes (PDT) disse que a petista havia deixado o Planalto com alta taxa de desemprego, quando na verdade um ano antes dela ter sido derrubada pelo impeachment, o índice chegou ao ponto mais baixo da história: 4,3%. O Brasil vivia antes do Golpe uma situação de pleno emprego. Em 2021, desemprego sob Bolsonaro deve atingir 18,1%, de acordo com a própria equipe econômica de Paulo Guedes.
“Durante o governo Lula e o meu governo, nós criamos 19,6 milhões de empregos formais, com carteira assinada. Um recorde histórico”, lembra ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Ex-ministro do governo Lula, Ciro Gomes (PDT) disse que a petista havia deixado o Planalto com alta taxa de desemprego, quando na verdade um ano antes dela ter sido derrubada pelo impeachment, o índice chegou ao ponto mais baixo da história: 4,3%. O Brasil vivia antes do Golpe uma situação de pleno emprego. Em 2021, desemprego sob Bolsonaro deve atingir 18,1%, de acordo com a própria equipe econômica de Paulo Guedes.

Em nota divulgada na terça-feira (24/11/2020) de novembro, a ex-presidenta Dilma Rousseff corrigiu afirmações de Ciro Gomes, candidato derrotado nas eleições de 2018, sobre o quadro do mercado de trabalho no período em que esteve à frente do Palácio do Planalto. Em entrevista ao jornal ‘O Globo’, o líder do PDT declarou que Dilma foi um desastre e que legou alta taxa de desemprego. “Quando ela assumiu, o desemprego era 4% quando saiu estava em 14%”, disse. De maneira firme, a presidenta destacou que o ex-ministro da Integração Nacional no governo Lula cometeu um “equívoco”.

“Os dados verdadeiros do IBGE são bem diferentes”, declarou a ex-presidenta. “Eu assumi, em janeiro de 2011, com a taxa de desemprego em 6%. Quando meu primeiro mandato acabou, em 2014, o desemprego médio foi de 4,8%”, ressaltou. Ela lembrou que, naquele ano, inclusive, o IBGE registrou o menor índice mensal da série histórica: 4,3% em dezembro.

Para 2021, o próprio governo Bolsonaro, que vem estabelecendo sucessivos recordes de desemprego no país, por conta da desastrosa política econômica de Paulo Guedes, admite que a taxa pode chegar a 18,1%. Isso equivaleria a 19 milhões de pessoas sem ocupação no mercado formal de trabalho. A taxa atual de desemprego no país está avaliada pelo IBGE em 14,4%, mas o número é considerado subestimado e avalia-se que haja no país mais de 40 milhões de trabalhadores na informalidade.

Recorde histórico e pleno emprego

“A verdade é que o emprego foi destruído no Brasil pelo mesmo golpe que destruiu a democracia”, apontou Dilma. “Em 2015, já em pleno processo de sabotagem do governo e crise produzida pelo processo de impeachment, o desemprego médio anual registrado foi de 8,8%”, ressaltou a líder petista. “E em 2016, já sob o governo Temer, porque fui afastada do cargo em maio, a taxa média de desemprego subiu para 11,5%”.

De acordo com a ex-presidenta da República, durante os 13 anos em que o PT esteve à frente do Palácio do Planalto – com Luiz Inácio Lula da Silva e a própria Dilma – foram criados no Brasil nada menos que 19,6 milhões de empregos formais, com carteira de trabalho assinada. “Um recorde histórico”, ressaltou Dilma.

Na entrevista ao jornal ‘ O Globo’, Ciro disse que o PT foi um dos grandes derrotados nas eleições municipais de 2020, ao lado do presidente Jair Bolsonaro, mas se esqueceu de mencionar que sua legenda, o PDT, encolheu nas urnas no pleito deste ano. O partido fundado por Leonel Brizola – que foi candidato a vice-presidente na chapa liderada por Lula em 1998 – elegeu nos primeiros 311 prefeitos, contra 334 em 2016.

Em 2016, o PDT havia recebido 6.412.851 votos na primeira rodada das eleições municipais daquele ano, enquanto o PT conquistou 6.843.575 votos. Este ano, o partido de Ciro teve 5.318.867 votos no primeiro turno das eleições. Já o PT assegurou 6.972.246 votos no domingo, 15 de novembro. Além disso, no pleito de 2020, nas 38 cidades com mais de 500 mil eleitores, o PT foi o partido com maior número de votos para vereador, enquanto o PDT obteve a 10ª posição. Nessas cidades, vivem 37% dos eleitores brasileiros.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 113566 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]