Unicef divulga guia sobre futuras vacinas contra a pandemia; Saiba o que fazer

Cientistas do Instituto Jenner da Universidade de Oxford no desenvolvimento de uma vacina contra o coronavírus.
Cientistas do Instituto Jenner da Universidade de Oxford no desenvolvimento de uma vacina contra o coronavírus.

A vacina contra a Covid-19 será uma ferramenta vital para ajudar a controlar a pandemia, se combinada a testes eficazes e às medidas de prevenção em curso. Especialistas em todo o mundo estão trabalhando, arduamente, para acelerar o desenvolvimento e a fabricação de uma vacina segura e eficaz.

A ameaça desta pandemia às crianças é enorme e vai muito além dos efeitos físicos imediatos da doença. Com a continuação das restrições, dos bloqueios ou com a nova imposição dessas medidas, o acesso das crianças aos serviços essenciais de saúde fica gravemente afetado.

Geração

As reduções nos exames de rotina e os efeitos de uma iminente recessão ameaçam a saúde e o futuro de toda uma geração. Acompanhe a seguir as respostas para as perguntas mais frequentes feitas pelos pais sobre uma possível vacina contra a Covid-19.

Quando uma vacina contra a Covid-19 estará pronta?

O desenvolvimento de uma vacina segura e eficaz leva tempo. Existem atualmente mais de 200 candidatas a vacinas em andamento, muitas delas ainda em testes clínicos. Várias estão na Fase 3 dos ensaios, que é a última etapa antes da aprovação de uma vacina. Devido aos cronogramas acelerados com os quais se trabalha em nível global, a expectativa é que algumas vacinas sejam aprovadas para uso já em 2021.

Mas é importante lembrar que ainda é longa a jornada desde o desenvolvimento de uma vacina até o licenciamento do produto, posterior produção em série e uso amplo. Logo que uma vacina tiver a aprovação necessária, será essencial que ela seja disponibilizada, de maneira oportuna e equitativa, para alcançar aos que mais precisam. É aí que entram em ação o Unicef e seus parceiros.

A agência da ONU se fará valer da experiência única como o maior comprador individual de doses de vacinas do mundo, colaborando com o Fundo Rotativo da Organização Pan-Americana da Saúde, Opas, e a Iniciativa Covax dedicada à aceleração e à alocação global de recursos contra o novo coronavírus. Esta pode se tornar a maior e mais rápida aquisição e fornecimento de vacinas do mundo.

Como está sendo desenvolvida a futura vacina contra a Covid-19?

As vacinas atuam imitando um agente infeccioso, seja ele um vírus, uma bactéria ou um outro micro-organismo causador de doenças. Essa reação “ensina” o sistema imunológico a responder de forma rápida e eficaz à ação desse agente.

Tradicionalmente, as vacinas provocam essa ação ao introduzir uma forma enfraquecida de um agente infeccioso que permite ao sistema imunológico estabelecer uma memória dessa atividade. Dessa forma, o sistema imunológico pode rapidamente reconhecer e combater esse agente antes de ele provocar a doença. É assim que algumas vacinas candidatas contra a Covid-19 atuais estão sendo projetadas.

Outras vacinas potenciais em desenvolvimento também usam novas abordagens: as chamadas vacinas de RNA e DNA. Em vez de introduzir antígenos, uma substância que faz com que o sistema imunológico produza anticorpos, as vacinas de RNA e DNA fornecem ao corpo o código genético necessário para permitir que o próprio sistema imunológico produza o antígeno.

Uma potencial vacina contra o coronavírus será segura?

Cada país tem órgãos reguladores que supervisionam a segurança e eficácia das vacinas antes de serem usadas amplamente. Em nível global, a Organização Mundial da Saúde, OMS, coordena diversos órgãos técnicos independentes que analisam a segurança das vacinas antes e mesmo depois de terem sido introduzidas. A agência aprova vacinas que tenham passado por rigorosos testes e ensaios clínicos para atestar que são seguras e eficazes no controle de doenças. Mesmo com as vacinas contra a Covid-19 sendo desenvolvidas de forma acelerada, elas só podem receber as aprovações regulamentares necessárias se atenderem aos rígidos padrões de segurança e eficácia.

O Unicef prioriza a segurança das crianças e de suas famílias. Desse processo também faz parte a aplicação de uma vacina segura.

O que é a Covax?

O Acelerador de Acesso às Ferramentas da Covid-19, ACT, é uma colaboração global para acelerar o desenvolvimento, a produção e o acesso equitativo aos testes, tratamentos e vacinas contra a Covid-19. A Iniciativa Covax é o pilar de vacinas do Acelerador ACT, visando acelerar o desenvolvimento e a fabricação de vacinas contra a Covid-19. Outra meta é garantir o acesso justo e equitativo para todos os países do mundo.

O papel da Iniciativa Covax  é monitorar de forma contínua o desenvolvimento de vacinas contra a Covid-19 para identificar as mais adequadas candidatas à vacina. Esta iniciativa atua junto de fabricantes para incentivá-los a expandir sua capacidade de produção antes que as vacinas recebam a aprovação regulamentar.

Essas ações estão ocorrendo porque, normalmente, os fabricantes são relutantes em fazer os investimentos significativos para aumentar as instalações de fabricação de vacinas até que recebam a aprovação para uma vacina. Mas, no contexto da atual pandemia, esse processo levaria a atrasos e à escassez de vacinas logo que estas fossem licenciadas.

Quando uma vacina contra a Covid-19 estará disponível em meu país?

Uma vez que qualquer uma das atuais candidatas à vacina contra a Covid-19 tenham obtido sucesso nos ensaios clínicos, provada sua segurança e eficácia e recebam a aprovação regulatória, as doses disponíveis serão alocadas a todos os países participantes da Iniciativa Covax usando uma fórmula de alocação padronizada, de forma proporcional ao tamanho total da população.

Com a enorme demanda global, nem todos os países serão capazes de receber a vacina ao mesmo tempo. Estima-se que levem meses ou até anos para se criar as doses de vacina suficientes para todo no mundo.

A prioridade será vacinar os trabalhadores da saúde para limitar o impacto da Covid-19 no funcionamento dos sistemas sociais e de saúde.

O lote seguinte da futura vacina permitirá que os países participantes imunizem grupos de alto risco, incluindo idosos e pessoas com maior risco de contrair doenças graves e morte após serem infectadas pela Covid-19. Os números para cada etapa variam de acordo com o país.

Quem terá acesso à vacina contra o coronavírus?

A meta da Covax é colocar 2 bilhões de doses da vacina ao dispor até o final de 2021. Essas doses devem bastar para proteger os trabalhadores de saúde e de assistência social, bem como pessoas em maior risco de contrair doenças graves ou morrer. Apesar dessa conquista ser considerada significativa, ainda é provável que as doses não sejam suficientes para uso mais generalizado. Por isso, será importante continuar tomando outras precauções para proteção em nível individual, familiar ou comunitário, incluindo a prática de distanciamento físico, lavagem regular das mãos e uso de máscaras.

Poderão as crianças tomar a vacina contra a Covid-19?

De acordo com o plano da Iniciativa Covax, as doses iniciais das futuras vacinas enviadas aos países serão administradas a profissionais de saúde, assistentes sociais e pessoas com alto risco de contrair doenças graves causadas pelo vírus. Entre elas: idosos ou pessoas com doenças preexistentes, e provavelmente não serão administradas para crianças. Esses grupos populacionais foram priorizados para ajudar a reduzir a morbidade pela Covid-19 e para ajudar a proteger os sistemas de saúde que atendem a todos os pacientes. A orientação e a disponibilidade podem ser atualizadas à medida que se aprender mais, por isso se recomenda verificar fontes confiáveis, como a OMS, bem como o Ministério da Saúde de seu país.

É importante, no entanto, se certificar que a criança continue recebendo a vacinação de rotina para essa etapa.

Como proteger a família até que uma vacina contra a Covid-19 esteja pronta?

Siga a lista de cuidados a tomar com a família para ajudar a evitar uma infecção:

Lavar as mãos com frequência usando água e sabão ou um álcool em gel.

Manter pelo menos um metro de distância de outra pessoa.

Procurar atendimento médico o quanto antes em caso de febre, tosse, dificuldade para respirar ou outros sintomas da Covid-19.

Evitar locais lotados, espaços confinados e fechados com pouca ventilação e tentar praticar o distanciamento físico em público.

Usar máscaras de tecido em locais públicos onde haja transmissão comunitária e onde o distanciamento físico não seja possível. Lavar a máscara com água e sabão com frequência.

Manter todos os espaços internos bem ventilados.

*Com informações da ONU News.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 111235 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]