Vereador propõe mais escolas na zona rural de Feira de Santana, integração da família às unidades e cobra melhorias para o trânsito

Roberto Tourinho: muitas crianças não estão estudando porque os pais não têm condições de mandar seus filhos para locais distantes de onde moram.
Roberto Tourinho: muitas crianças não estão estudando porque os pais não têm condições de mandar seus filhos para locais distantes de onde moram.

Mais escolas em áreas rurais do município de Feira de Santana, para integrar o máximo possível de crianças na educação municipal. Conforme o vereador Roberto Tourinho (PSB), essa deve ser uma das prioridades da Prefeitura de Feira de Santana, para evitar a evasão de alunos. “Muitas crianças não estão estudando porque os pais não têm condições de mandar seus filhos para locais distantes de onde moram. Foram criados em Feira muitos residenciais, alguns quase chegando na sede de distritos como Maria Quitéria e Humildes. Enquanto isso o transporte escolar não atende ao perímetro rural, só a área urbana”, discursou Tourinho, diante de um grupo de professores que compareceu à Câmara esta semana para pedir o apoio da Casa na luta pelo restabelecimento de valores salariais da categoria, reduzidos pelo Governo Municipal.

Pré-candidato a prefeito, o vereador considera estratégico um processo de integração entre os filhos e sua família na comunidade escolar.  “O filho estuda, mas o pai, a mãe ou o irmão não se sentem corresponsáveis pela manutenção das unidades.

Assim, propõe, a escola deve ter equipamentos como quadras esportivas “para que os pais dos alunos que ali estudam possam, num domingo, jogar futebol de salão e xadrez, por exemplo, e se sintam partícipes”. Mais uma prioridade é aumentar a quantidade de escolas que funcionem em tempo integral. “Não podemos melhorar se as nossas crianças não estiverem mais tempo nas escolas”. Tudo com foco no IDEB Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), assinala, ranking em que Feira de Santana se encontra em posição inferior ao preconizado.

Feira precisa de 300 agentes, além de maior tempo em semáforos, defende vereador

Feira de Santana necessita de 300 agentes de trânsito, conforme preconiza um levantamento sobre o setor. A informação foi dada nesta segunda-feira (31/08/2020) na Câmara pelo vereador Roberto Tourinho (PSB). “Estamos   construindo um projeto para o município. “A cidade requer, porque nos últimos anos muito pouco ou quase nada foi feito”, diz ele, que é pré-candidato a prefeito.

O vereador defende que   os cargos na Secretaria de Transporte e Superintendência de Trânsito sejam ocupados por capacidade técnica e não por indicação política. Algumas medidas, segundo Tourinho, já se encontram diagnosticadas, a exemplo do aumento do tempo nos semáforos para facilitar a travessia de idosos, a construção de ciclovias e o remanejamento de “radares escondidos”, afirma que o plano em elaboração é resultado de conversas com especialistas, engenheiros de trânsito e de tráfego, que sugerem formas de trazer melhorias e adequações para a realidade atual do município, por onde circulam mais de 200 mil veículos automotivos.

O parlamentar também destacou que, além da execução dessas medidas, é imprescindível buscar um tratamento respeitoso entre os agentes, motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres para prevenir acidentes e melhorar a convivência no trânsito, bem como melhorar a   “relação difícil e conturbada”  existente nos últimos anos entre os governantes, superintendentes e a associação de classe desses servidores.

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108080 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]