Família Williams tomou decisão acertada ao deixar F1, diz Damon Hill

Carro da Williams para a temporada 2020 de Fórmula 1.
Carro da Williams para a temporada 2020 de Fórmula 1.

A família Williams fez a coisa certa ao vender sua equipe e deixar a Fórmula 1, segundo o campeão mundial de 1996, Damon Hill.

Comparando Frank Williams a Enzo Ferrari, como um fundador devoto à sua equipe de corrida e fábrica, o britânico falou em uma coluna do Daily Telegraph sobre tristeza e alívio no fim de uma era.

“Eu realmente amei trabalhar lá, mas acho que, no geral, é provavelmente uma decisão sensata para a família se despedir”, disse Hill, que deixou a Williams no final da temporada em que ganhou o título.

“Deve haver um certo grau de tristeza para eles, visto que a Fórmula 1 foi sua vida por tanto tempo, mas o mais triste foi ver as dificuldades da equipe.”

A Williams terminou em 10º nas últimas duas temporadas e agora é a última colocada após sete corridas. Eles marcaram apenas um ponto desde 2018.

A equipe anunciou no mês passado que tinha sido comprada pela Dorilton Capital, dos Estados Unidos. A vice-chefe de equipe Claire Williams e seu pai Frank vão deixar a escuderia após o Grande Prêmio da Itália, no domingo, em Monza.

Hill afirmou que a Williams pareceu perder o ímpeto quando se expandiu rapidamente depois de se mudar para uma nova fábrica em 1996 e se associar à BMW em 2000.

*Com informações de Alan Baldwin, da Agência Reuters.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9377 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).